Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de
Ensino de Presidente Prudente e Região

NOTÍCIAS DO DIA
SinproABC realiza seu IX Congresso, assembleias em São Paulo e Guarulhos, delegado da PF assume Inep, e mais.

terça-feira, 16 de abril de 2019

Os professores e técnicos de ensino sindicalizados do Sesi/Senai no Estado de São Paulo garantiram que o pagamento de suas mensalidades ao sindicato seja feito diretamente em folha de pagamento da instituição, com registro em seu holerite mensal. Essa forma de pagamento foi garantida em decisão liminar do desembargador Rafael Pugliese Ribeiro, vice-presidente judicial do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo, em audiência de conciliação entre a Federação dos Professores de São Paulo – Fepesp e o Sesi/Senai na tarde desta segunda-feira, 15/04.
Saiba mais:https://bit.ly/2IvPSNg

 

 


SinproABC realiza seu IX Congresso
Sinpro ABC; 15/04
http://bit.ly/2PlgoKZ

O Sindicato dos Professores do ABC – SinproABC realiza no próximo dia 27 o seu IX Congresso. Esse ano o tema será “Educação Para uma Sociedade Democrática”. O Congresso acontece num momento em a educação do país sobre um violento ataque e dentro desse contexto o tema proposto objetiva aprofundar a analise de conjuntura e buscar caminhos que assegurem a autonomia do docente e a educação de qualidade. Para este debate o SinproABC convidou profissionais gabaritados do ramo educacional. No período da manhã a mesa será composta por Celso Napolitano da Fepesp e membro do Diap, Denise Carreira, coordenado executiva da Ação Educativa e Daniel Cara, coordenador Nacional da Campanha do Direito à Educação. Para o período da tarde a mesa será composta por Júlio Turra, da Executiva Nacional da CUT, Jandira Uehara Alves, diretora executiva da CUT e servidora de Diadema e Fernando Luiz Cássio Silva, especialista em políticas educacionais e professor e pesquisador da Universidade Federal do ABC – UFABC.

 


Sinpro Guarulhos realiza assembleia 
Sinpro Guarulhos; 15/04
http://bit.ly/2UBAxSC

Assim como SP, Santos e Guarulhos realizaram assembleias de mobilização no sábado, 14/04.

 

Assembleia decide:
SinproSP deve insistir nas negociações

Sinpro SP; 15/04
http://bit.ly/2UmTSlA

Professoras e professores reunidos no SinproSP, na manhã de sábado, dia 13, fizeram uma avaliação da Campanha Salarial, deram informes sobre a mobilização nas escolas e definiram os próximos passos do movimento. Após a rejeição da contraproposta patronal na assembleia do dia 23/03, o SinproSP comunicou ao Sieeesp a decisão soberana da categoria, com o objetivo de retomar as negociações. O Sindicato também intensificou as visitas aos professores nos locais de trabalho para conversar, distribuir material e ampliar a mobilização. Em muitas escolas, há iniciativas de organização com troca de ideias na sala dos professores, rodas de conversa e outras manifestações. São ações importantes, que devem ser mantidas para pressionar os patrões a negociarem com seriedade.

 

Votação da Previdência na CCJ será adiada para próxima semana
Folha de S. Paulo; 15/04
http://bit.ly/2IoaKa7

No primeiro teste da reforma da Previdência, o governo foi derrotado e a votação na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara do principal projeto do presidente Bolsonaro deve ficar para a próxima semana. O  líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), admitiu que, nesta terça-feira (16) e quarta (17), a CCJ vai apenas debater o relatório do deputado Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG), que recomendou a aprovação integral da proposta. “Vamos exaurir o máximo possível de debatedores para que a votação seja na semana que vem”, disse o líder do governo.


Reforma da Previdência abre brecha para taxar 
benefícios trabalhistas, como férias e vale-refeição

Revista Fórum; 16/04
http://bit.ly/2UFH2np

Segundo a reportagem, o texto propõe que as alíquotas de contribuição para o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) passem a incidir sobre rendimentos do trabalho “de qualquer natureza”, não só no salário-base. Para especialistas, isso poderia incluir a taxação de benefícios como vale-refeição, adicional de férias e participação nos lucros. Caso aprovado, o artigo pode ter como efeito indireto a diminuição do salário dos trabalhadores, em especial os com menos qualificação.

 

Bolsonaro interrompe política de aumento real do salário mínimo
Folha de S. Paulo; 15/04
http://bit.ly/2V3RMeT

O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) propôs, nesta segunda-feira (15), que o Orçamento de 2020 preveja uma correção do salário mínimo apenas pela inflação. Na prática, a medida interrompe uma política pública que permitiu 25 anos de ganhos reais aos trabalhadores.

 

 

Delegado da Polícia Federal assume presidência do Inep
Carta Capital; 15/04
http://bit.ly/2IptplL

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, nomeou nesta segunda-feira 15 o presidente do Inep: Elmer Coelho Vicenzi, Delegado da Polícia Federal, especialista em Direito Penal pela Escola Paulista de Direito. Também foi professor da Academia Nacional de Polícia e diretor do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), onde gerenciou a implementação da Carteira Digital de Habilitação. Vicenzi ocupa o cargo que estava vago desde o dia 26 de março, quando o então presidente Marcus Vinicius Rodrigues foi demitido, após se envolver em uma polêmica, ainda na gestão de Vélez Rodríguez. Ele teria tomado a decisão de adiar a avaliação da alfabetização dos estudantes para 2021, medida que teria desagradado ao ex-ministro.

 

O MEC e a guerra ao ‘marxismo cultural’ nas universidades 
Blog do Esmael; 15/04
http://bit.ly/2V11YVr

O ativista social Milton Alves analisa que a substituição de Vélez Rodriguez por Abraham Weintraub no Ministério da Educação (MEC) significa uma aposta de Jair Bolsonaro (PSL) na continuidade da disputa ideológica, com maior intensidade e coordenação, na área educacional. Também foi um gesto político que fortaleceu o núcleo mais extremista do bolsonarismo em detrimento do espaço dos militares no primeiro escalão do Ministério.

 

Volume de mensalidades a receber cresce nas universidades
Folha de S. Paulo; 16/04
http://bit.ly/2ImHcd5

Um olhar pelos balanços financeiros das quatro grandes universidades universidades de capital aberto conclui que o volume de mensalidades a receber está em alta. Na Kroton, a maior delas, subiu de R$ 2,99 bilhões, em 2017, para R$ 3,74 bilhões em 2018 ao se considerar também os pagamentos do Fies.

 

Kroton enfrenta ação de despejo de R$ 45 milhões
O Globo; 15/04
https://glo.bo/2Gom3g8

A Justiça de São Paulo recebeu na sexta-feira uma ação de despejo no valor de R$ 45,4 milhões feito contra a Anhanguera/Kroton, a gigante do ensino superior do Brasil. O autor do pedido é o empresário Heitor Pinto e Silva que em 2011 vendeu a Uniban para a Anhanguera (que em 2014 seria comprada pela Kroton). Na ocasião, Pinto e Silva vendeu a Uniban, mas manteve a propriedade de onze imóveis usados pela universidade. Pelo aluguel, recebia R$ 3 milhões por mês.

 

 

Professora é detida 
dentro do câmpus de Águas Lindas de Goiás, do IFG

Correio Braziliense; 15/04
http://bit.ly/2UDUoRp

A coordenadora-geral do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe) e professora do Instituto Federal de Goiás (IFG), Camila Marques, foi detida no câmpus de Águas Lindas de Goiás, na manhã desta segunda-feira (15/4), por “desobediência” a ordens de policiais. De acordo com a Polícia Civil de Goiás, os agentes estavam na unidade para investigar uma denúncia, após o diretor da unidade registrar, no domingo (14/4), uma ocorrência de ameaça de um atentando semelhante ao ocorrido na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), em 13 de março.

 

Artigo | A destruição do direito constitucional à educação
Carta Educação; 15/04
http://bit.ly/2UEL4fL

Por Gilson Reis: O que se implementou no sistema educacional no Brasil não foi a concessão pelo Estado de um direito ao setor privado, mas a permissão constitucional para que esse setor agisse como qualquer empresa, utilizando a educação para auferir lucros, sem exigência de padrão de qualidade e sem regulamentação legal e fiscalização por parte do Estado para garantir essa qualidade. Combater esse processo de mercantilização, financeirização, oligopolização e desnacionalização do ensino, que, embora tenha começado no nível superior, há algum tempo começou a atingir também a educação básica, tem sido uma bandeira prioritária da Confederação Nacional de Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino — Contee desde sua fundação, há quase 30 anos, e, mais fortemente, nos últimos 12 anos, com a campanha “Educação não é mercadoria”.

 

Artigo | Ensino privado e interesse público
Observador; 15/04
http://bit.ly/2Iri3hg

Por João Carlos Espada: A mais recente edição da revista semanal The Economist dedica 12 páginas (e um dos cinco editoriais) ao tema da “Educação Privada”. Os dados contidos no estudo e os argumentos desenvolvidos pela revista certamente surpreenderão os que entre nós teimam em opor o interesse público ao ensino privado.

 

 


Vacina da gripe 2019: o que há de novo?
G1; 15/04
https://glo.bo/2GpTsY0

Começou a campanha de vacina contra a gripe. Até aí, você pode achar que não há nenhuma novidade e que todo ano é a mesma coisa. Só que não. Neste ano de 2019 houve algumas informações interessantes e importantes, principalmente no que diz respeito a quem pode receber a vacina. Uma das mais significativas é que quem tem alergia a ovo pode tomar a vacina, desde que a receba em local adequado e preparado. Deve aguardar 30 minutos para ser liberado(a). Portanto, não há mais limitação para as pessoas com esta condição.

 

Bolsonaro ‘comemora’ fim da participação 
da sociedade civil no governo

Carta Capital; 15/04
http://bit.ly/2KGZoQv

O presidente Jair Bolsonaro comemorou, neste domingo 14, o decreto assinado por ele na semana passada que coloca fim nos conselhos sociais. “Redução do poder de entidades aparelhadas politicamente usando nomes bonitos para impor suas vontades”, disse o pesselista em seu Twitter. Esses conselhos tinham a função de integrar a sociedade civil nas discussões do governo. O Estado não pagava salário para os participantes, mas garantia o deslocamento até Brasília, os gastos com estadia e alimentação.