NOTÍCIAS DO DIA

1º de Outubro – Congresso da Fepesp em andamento, 147 delegados de 25 sindicatos, a homenagem ao patrono Paulo Freire, e mais: como a fila do osso virou símbolo da miséria nacional

Por sexta-feira, 1 de outubro de 2021

10º Congresso da Fepesp: 25 sindicatos, 147 delegados, 4 anos de nova gestão
Fepesp; 01/10
https://bit.ly/3j9RWwl

Tem início na manhã desta sexta-feira, d=ia 1º de outubro, o 10º Congresso da Federação dos Professores do Estado de São Paulo.

O credenciamento de delegados e observados está em andamento desde a tarde da quinta-feira, dia 30. Às dez horas, Celso Napolitano abre o Congresso com saudação aos participantes. Além da saudação de dirigentes de centrais sindicais, parlamentares e outros participantes, a manhã do primeiro dia do Congresso a apresentação de vídeo especial em homenagem a Paulo Freire, patrono da Educação no Brasil e destacado neste Congresso pela passagem do seu centenário de nascimento.

A abertura do Congresso terá ainda palestras de José Eymard Loguercio (LBS advogados, Instituto Lavoro e CUT) no tema ‘Organização sindical, do custeio à ação política), e Antonio Augusto de Queiroz (diretor licenciado do DIAP, o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar), no tema ‘Conjuntura Política Nacional’.

Na parte da tarde haverá a apresentação do balanço da gestão que se encerra, e quatro mesas em formato interativo para discussão de relatórios específicos. NO sábado, na plenária final, haverá discussão sobre atualização estatutária e eleição da nova diretoria da Fepesp para o quadriênio 2021-2025.

 

Evento convocado pela gestão Doria tem secretário sem máscara e aglomeração de educadores
Folha de S. Paulo; 30/09
https://bit.ly/3inH0dT

Uma reunião, convocada pela gestão João Doria (PSDB), levou milhares de diretores de escolas a ficar aglomerados na manhã desta quinta-feira (30). O secretário de Educação, Rossieli Soares, estava no evento e dispensou o uso de máscara ao falar com os educadores.

Dois deputados estaduais da oposição entraram com representação no Ministério Público do Estado de São Paulo já nesta quinta pedindo a suspensão imediata do evento, que segue até esta sexta (1º).

A Folha mostrou que a Secretaria de Educação convocou 4.000 diretores para participar da reunião, marcada para acontecer em Serra Negra, município no interior do estado (a aproximadamente 150 km da capital paulista). Desde que foi feita a convocação, sindicato e educadores já reclamavam do risco desnecessário ao qual o governo expõe os profissionais e, consequentemente, os alunos.

Imagens do evento mostram milhares de diretores acompanhando a fala do secretário de educação na manhã desta quinta. Nas fotos, é possível ver que os educadores não estão a mais de um metro de distância uns dos outros.

 

Educação pós-pandemia: parlamentares apresentam proposta de aula de reforço aos sábados
O Globo; 30/09
https://glo.bo/3iofjl9

Alessandro Vieira, Felipe Rigoni e Tábata Amaral defendem que, no fim de semana, sejam lecionadas disciplinas de Português e Matemática nos ensinos Fundamental e Médio.

O trio também propôs a instituição, em cada unidade escolar, de um Comitê Gestor de Atenção Psicossocial, com a participação de representantes da atenção básica responsável pelo território e da comunidade escolar, facultada a participação dos serviços de proteção social básica do Sistema Único de Assistência Social.


Polêmica: Deputada quer barrar publicidade do governo Bolsonaro como condição de acesso à internet em escolas
Jornal da Chapada; 30/09
https://bit.ly/3aayTgp

“Exigir que alunos e professores assistam propagandas governamentais para acessar a internet pública configura claramente a utilização da Escola para fins ideológicos, partidários, e até mesmo eleitorais”, salienta Professora Dayane Pimentel.

Dayane Pimentel, que já atuou em escolas da rede estadual de ensino da Bahia e também na rede privada, também salienta que o cerceamento da liberdade deve ser combatido. “Essa publicidade indevida representa uma doutrinação e o cerceamento da liberdade e do direito que o estudante possui de aprender livremente, sem nenhum óbice estatal ao seu acesso à informação”, justifica a parlamentar.

 

CENTENÁRIO PAULO FREIRE

Paulo Freire ameaçava o pilar da dominação oligárquica e latifundista
Valor Econômico; 01/10
https://glo.bo/3iovizs

Por José de Souza Martins ,sociólogo, professor emérito da Faculdade de Filosofia da USP: “ Neste centenário do educador Paulo Freire, um marco de sua biografia é o acontecimento que ficou conhecido como “As 40 horas de Angicos”, no sertão do Rio Grande do Norte, em 1963. Ali começava uma revolução educacional que se expandiria pelo país, pelo continente e pela África: ensinar adultos iletrados a ler e a escrever em 40 horas.  O ensino se baseava no método criado por ele, que alterava profundamente a concepção de alfabetização de adultos.

 

O modo tradicional de fazê-lo pressupunha que todo analfabeto, independentemente da idade, era infantil. Usava-se com ele ou cartilhas para crianças ou cartilhas infantilizadas, com frases de referência, sem sentido, do tipo “Eva viu a  uva”.

Em se tratando de adultos, o método pressupunha que são eles donos de um saber provado na sua experiência de vida. Portanto, a questão era tratar esse saber como um bem social.

O analfabetismo foi e tem sido, no Brasil, um instrumento de dominação e de poder, o poder do atraso que nos tiraniza até hoje. A república anômala alimentou-se dele como meio de usurpação da liberdade teórica concedida aos desvalidos.  O método de Paulo Freire ameaçava o pilar da dominação oligárquica e latifundista. Poderia transformar um país de servos num país de cidadãos”.

 

Bendito Paulo Freire!
Estadão; 30/09
https://bit.ly/39T5M0X

Por José Renato Nalini, presidente da Academia Paulista de Letras: “Um dos brasileiros mais respeitados no planeta se chama Paulo Freire. Nasceu no Recife em 19.9.1921 e morreu em São Paulo, em 2.5.1997. Teve de ficar dezesseis anos longe de sua Pátria, onde foi execrado e perseguido. Mas foi muito bem recebido na Bolívia, no Chile, nos Estados Unidos e na Suíça.

Como considerar subversiva uma proposta de união entre os homens, para que todos sejam espiritualmente livres e ninguém considere inferior um semelhante? Quando Paulo Freire fala em liberdade, está a focar o primeiro dos direitos humanos de primeiríssima dimensão, que tem sede no caput do artigo 5º da Constituição da República. Pois é sustentável afirmar-se que “vida”, o primeiro bem enunciado, seja – tecnicamente – um pressuposto de fruição de qualquer dos bens decorrentes dela. Todos os direitos só são exercitados por um ser vivo. Não há direitos titularizados pelos que já se foram deste planeta”.

 

Notas de Leitura 6 – ”Paulo Freire: a prática da liberdade, para além da alfabetização’
Carta Maior; 30/09
https://bit.ly/3CXs260

O lançamento de Paulo Freire: a prática da liberdade para além da alfabetização (Autêntica/FPA, 2021), de Venício A. de Lima, professor emérito da Universidade de Brasília, ultrapassa as comemorações do centenário de nascimento de Paulo Freire, neste mês de setembro.

Com versão online disponível no site da Fundação Perseu Abramo, e exemplar físico à venda nas principais livrarias do país, a obra explicita a urgência de revisitarmos a teoria e prática da liberdade em Paulo Freire, em busca de meios minimamente eficazes para o enfrentamento da escalada fascista, no Brasil e no mundo.

 

 

 

Paulo Freire é o homenageado no
10° Congresso Fepesp, dias 1 e 2 de Outubro.
Saiba mais aqui: 
https://bit.ly/3j9RWwl   

 


POLÍTICA EDUCACIONAL

Novo Ensino Médio deve aumentar as desigualdades na educação
Zero Hora; 30/09
https://bit.ly/3iI89sj

Modelo passará por cima de questões urgentes e históricas como o aumento de salário dos professores e o investimento maciço na área.

A implantação do novo ensino médio deverá aumentar as desigualdades na educação. Do modo como esta estruturada, acredita o comentarista Jeferson Tenorio, da Zero Hora, a escola pública se transformará num espaço voltado para a formação de técnicos e operários.

 

CORONAVÍRUS

YouTube vai remover fake news e desinformação sobre todas as vacinas
Rede Brasil Atual; 28/09
https://bit.ly/2Y8NKFj

Embora com atraso, o Youtube anunciou nesta quarta-feira (29) que vai remover vídeos com informações falsas sobre quaisquer vacinas aprovadas por autoridades de saúde. Anteriormente, a plataforma já havia adotado posição semelhante sobre desinformação relativa aos imunizantes contra a covid-19. “Temos visto constantemente alegações falsas sobre as vacinas contra o coronavírus se transformarem em informações errôneas sobre as vacinas em geral. Estamos agora num ponto em que é mais importante do que nunca expandir o trabalho que começamos com a covid-19 para outras vacinas”, explica a empresa em comunicado.

“O YouTube não permite conteúdo que represente risco sério de danos graves, por meio da divulgação de informações médicas incorretas sobre vacinas atualmente administradas, que foram aprovadas e confirmadas como seguras e eficazes pelas autoridades de saúde locais e pela Organização Mundial da Saúde (OMS)”, diz a empresa. “Isso é limitado ao conteúdo que contradiz as autoridades de saúde locais ou as orientações da OMS sobre a segurança, eficácia e ingredientes da vacina”, acrescenta.

 

 

SP começa nesta sexta (1º) a campanha de multivacinação de crianças e adolescentes
Agora; 30/09
https://bit.ly/3mewirg

A SMS (Secretaria Municipal da Saúde) vai dar início, a partir desta sexta-feira (1°), à Campanha Nacional de Multivacinação, voltada para imunizar crianças e adolescentes até 15 anos, contra as mais diversas doenças.

Neste ano, as vacinas disponíveis na campanha são: BCG, hepatites A e B, poliomielite, rotavírus, pentavalente (DTP+Hib+HB), pneumocócica, meningocócicas C e ACWY, febre amarela, sarampo, caxumba, rubéola, varicela, HPV, difteria e tétano.

Atualmente, de acordo com dados da própria Secretaria Municipal da Saúde, a cobertura vacinal em SP está aquém do esperado. Por exemplo, no caso da BGC, imunizante voltado a proteger contra a tuberculose, até o primeiro semestre deste ano, apenas 72,6% da meta de 90% do grupo elegível havia sido atingida.

 

 

 

 

Como a fila do osso virou símbolo da miséria nacional
Nexo; 01/10
https://bit.ly/2Y6QOS2

Procura por restos rejeitados por mercados e açougues compõe retrato da fome num Brasil assolado por alto desemprego e inflação crescente.

 

Clique na imagem abaixo para ouvir o podcast.

O MTST (Movimento de Trabalhadores Sem Teto) ocupou nesta quinta-feira (30) a rua do condomínio de luxo em que vive o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro, em um ato contra a fome e a inflação no Brasil. Durante o protesto em Brasília, os manifestantes exibiram ossos de boi. A manifestação aconteceu um dia depois da foto que estampava a capa do jornal carioca Extra repercutir em todo o país.

A imagem mostrava um homem no interior de um caminhão selecionando ossos e restos de carne. Pessoas fizeram fila na frente do veículo para coletar as sobras. O “Durma com essa” fala como a fila do osso virou um símbolo da fome, que atingiu 19 milhões de brasileiros no último trimestre de 2020.