NOTÍCIAS DO DIA

O plano de ações deliberado no 10° Congresso, MEC ainda não mapeou impacto da pandemia, Paulo Freire na lista dos livros mais vendidos, e mais:

Por terça-feira, 5 de outubro de 2021

Conheça o Plano de Ações deliberado pelos delegados ao 10° Congresso da Fepesp, todo dia um destaque: hoje começamos pelos direitos democráticos. Veja todos aqui: https://bit.ly/3A4rbyD

 

 

 

Professores e auxiliares da rede privada elegem direção
Agência Sindical; 04/10
https://bit.ly/3mnJ3jj

O 10º Congresso da Federação dos Professores do Estado de SP (Fepesp), que ocorreu dias 1º e 2 de outubro, se encerrou com a eleição da diretoria, renovação do plano de lutas e reforçando a união de Sindicatos filiados. O atual presidente, Celso Napolitano, foi reeleito para o mandato de 2021 a 2025.

A chapa “União é Força, não passarão” conta também com Luis Antonio Barbagli (Sinpro-SP) e Gentil Gonçales Filho (Sinprovales), na vice-presidência. Paulo Nobre (Sinpro Campinas) é o secretário-geral da entidade.

A Fepesp tem como pontos principais a defesa da democracia, do estado democrático de direito, dos direitos sociais, serviços e políticas públicas, alem da democratização das mídias sociais.

Homenagem – Durante o Congresso, a Federação homenageou Paulo Freire, patrono da educação no Brasil, que teria completado 100 anos em setembro. O professor dedicou sua vida em prol da educação libertadora e de qualidade. Clique aqui e assista ao vídeo.



EDUCAÇÃO BÁSICA

Carga emocional e dispersão marcam a volta dos alunos ao ensino presencial
Estadão; 04/10
https://bit.ly/3l886Ye

“Os alunos voltaram bem mais dispersos e alguns até catatônicos nas primeiras semanas”, conta Fátima Santana de Almeida, Diretora da EE Dom Angelo Cardeal. “Como faço a recepção e a aferição de temperatura deles no portão, pude reparar que muitas vezes os pais estavam redirecionando os filhos, como se não soubessem mais entrar na escola, entretanto, aos poucos isso foi mudando. Estão muito mais alegres também”, conta.

Nem toda escola lida com a mesma questão, mas fato é que todas têm lidado com crianças e adolescentes que passaram um ano e seis meses afastado do ambiente que tanto lhe eram familiar e íntimo. Alguns chegam mais tímidos, outros mais ansiosos, mas todos precisam de tempo para se reconhecerem novamente dentro da escola e dentro do contexto social que ela carrega.

Longe de ser fácil, longe de ser apenas uma reabertura de portões. Alunos precisam de acolhimento mais do que adaptações.

 

Ensino médio: entre educação de base e qualificações
Extra Classe; 04/10
https://bit.ly/3AbyqFg

O que a reforma do Novo Ensino Médio (NEM) e a Medida Provisória (MP) nº 1.045/2021 que propôs introduzir o Regime Especial de Trabalho Incentivado, Qualificação e Inclusão Produtiva (Requip), têm em comum?

Aparentemente preocupadas com os jovens, ambas reformas, com duvidosas promessas e iniciativas descontextualizadas, possuem propósitos comuns: ensino e trabalho precários.

O NEM reduz a formação básica geral do ensino médio ao máximo de 1,8 mil horas, complementadas por mais 1,2 mil horas com qualificações fragmentadas, aligeiradas e pulverizadas.

 

Professores e auxiliares de escolas particulares podem calcular retroativos a receber
Jornal de Itu; 02/10
https://bit.ly/3iyxi8E

Professoras, professores e auxiliares nas escolas particulares de Educação Básica no Estado de São Paulo podem estimar o que tem a receber em reajustes salariais retroativos uma calculadora preparada pelo Sinpro SP. “Conseguimos também estabilidade por 90 dias“, diz o Professor Gentil Gonçales Filho, presidente regional da Sinpro, que abrange os profissionais do setor de Itu, Salto e Indaiatuba.

Clique neste link, coloque os valores brutos recebidos e veja o resultado: https://www.sinprosp.org.br/calculo-salario2021

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

MEC até hoje não mapeou impacto da pandemia na educação, diz presidente de conselho de estados
Painel, Folha de S. Paulo; 04/10
https://bit.ly/3uJc2lx

O Brasil tem hoje mais pessoas na miséria do que em 2011 e em relação a antes da pandemia. Após longo período de queda sustentada, a taxa de miseráveis voltou a subir e eles são hoje 27,4 milhões (13% da população; equivalente a quase uma Venezuela) vivendo com menos de R$ 261 ao mês, ou R$ 8,70 ao dia, segundo a FGV Social.

Ao Painel o presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), Vitor de Angelo, afirma que o governo federal somente estimulou o retorno às aulas sem investir em uma análise sobre qual a situação dos estudantes brasileiros após o período fora das salas de aula imposto pela pandemia.

 

Educação dos mais pobres dispara, mas crise econômica destrói renda
Folha de S. Paulo; 04/10
https://bit.ly/3lbyoc9

Atingida ao seu final pela pandemia do coronavírus, a pior década de que se tem registro na história econômica brasileira interrompeu longa trajetória de redução da miséria e expôs a armadilha que mantém o Brasil pobre e desigual.

Diante de mais pobreza extrema e fome, especialistas apontam saídas possíveis, que deveriam estar combinadas a um plano duradouro de equilíbrio das contas públicas —base para o crescimento sustentável e o aumento da renda.

Nos últimos dez anos, apesar de um expressivo aumento de 27% nos anos de estudo (de 6,4 para 8,1) da população na metade mais pobre, a renda do trabalho dessa parcela despencou 26,2%.

 

CENTENÁRIO PAULO FREIRE

 

 

No seu centenário, Paulo Freire volta à Lista dos Livros Mais Vendidos do PublishNews
Publish News; 02/10
https://bit.ly/3ldsLKE

No último dia 19, Paulo Freire completaria 100 anos. E justo no seu centenário, o Patrono da Educação Brasileira voltou às Listas dos Livros Mais Vendidos do PublishNews, com Pedagogia do oprimido (Paz e Terra).

 

O livro ocupa a quinta posição da Lista de Não Ficção, com 415 cópias vendidas. Uma outra edição de Pedagogia do oprimido, também publicada pela Paz e Terra, estreou na Lista em 2017.

O título foi escrito entre 1964 e 1968, quando Paulo Freire estava exilado no Chile, mas permaneceu inédito até 1974. Foi proibido pela ditadura militar que vigiava no Brasil na época. Nele, o educador pernambucano aborda a luta pela desalienação, pelo trabalho livre, pela afirmação dos seres humanos como pessoas, e não coisas.

 

Constituição, 33 anos: O que está em jogo no Brasil é a ruptura completa do pacto de 1988
Unisinos; 31/09
https://is.gd/6pzQ5J

O clima de sucessão presidencial no Brasil está posto. Mas a tensão comum desses períodos, apesar de o debate estar bastante adiantado, com mais de um ano de antecedência em relação ao pleito, mostra que a escalada da violência política subiu mais alguns degraus.

“Não há dúvida nenhuma de que temos uma combinação bastante perigosa, com uma militância extremista radicalizada e uma liderança disposta a tumultuar e melar o processo. Se não forem, desde já, tomadas medidas a fim de conter a campanha de Bolsonaro e seus principais aliados contra as eleições, nós corremos o sério risco de termos uma escalada de violência política, pior ainda do que aquela ocorrida durante a campanha das eleições de 2018”, pontua o professor e pesquisador Luis Felipe Miguel, em entrevista por telefone ao Instituto Humanitas Unisinos – IHU. Leia a entrevist aqui: https://is.gd/6pzQ5J

 

Gilmar Machado ganha prêmio no Maior Festival Internacional de Desenho de Imprensa e Caricatura do Mundo
G1; 03/10
https://glo.bo/3a9pLZ2

O Cartunista Gilmar Machado, conhecido como Gilmar, Cartunista das Cavernas, venceu o Grande Prêmio Internacional de Imprensa, o Maior Festival Internacional de Desenho de Imprensa e Caricatura do Mundo: Saint Just le Martel, que comemorava 40 anos.

Gilmar recebeu com muita surpresa e emoção o resultado. “Este prêmio Grand Prix Internacional De La Presse Etrangère é fruto do trabalho com as charges políticas que tenho desenvolvido no Brasil”.

Autor de seis livros de tiras/quadrinhos, três deles adotados pelo governo para distribuição em bibliotecas públicas, o cartunista já teve diversos trabalhos premiados ao longo da carreira, entre eles, em 2003, foi eleito o melhor cartunista brasileiro pelo Troféu HQ Mix, com o livro: “De Quatro”. Em 2006 ganhou pela 1ª vez o Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, na categoria ilustração, com um desenho para o editorial ‘Matou, Morreu’, publicado no dia 16 de julho daquele ano, no jornal o Hoje.

 

Gilmar é irmão de Israel Machado, do Sindicato dos Professores do ABC.

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Fundo abre espaço para mais bolsistas na St. Paul’s
Valor Econômico; 05/10
https://glo.bo/3a848Zj

Quando completar um século de atividade, em 2026, a St. Paul’s School pretende ser uma instituição mais diversa, com 50 alunos bolsistas, 10% do total de matriculados em seu sênior school, equivalente aos anos do ensino fundamental II e ensino médio brasileiros. Para tornar a iniciativa sustentável, a meta é arrecadar R$ 200 milhões nos próximos anos a partir de um fundo patrimonial recém-lançado, que teve aporte inicial de R$ 15 milhões da escola.

A instituição de ponta, com ensino bilíngue, cujas mensalidades e atividades complementares podem somar R$ 160 mil ao ano, tem hoje apenas nove bolsistas.

 

 

CORONAVÍRUS

CPI da Pandemia planeja memorial em homenagem às vítimas do coronavírus
G1; 04/10
https://glo.bo/3a9pLZ2

O presidente da CPI da Pandemia, senador Omar Aziz (PSD-AM), confirmou a elaboração de um memorial, em frente ao Congresso Nacional, para homenagear as vítimas do coronavírus.

O projeto conta com arquitetos do próprio Senado Federal e a iniciativa deve ser apresentada no dia de apresentação do relatório final, programada inicialmente para 19 de outubro.

 

 

 

 

Guedes e Campos Neto em paraísos fiscais, Pandora Papers: ‘Raposas tomando conta do galinheiro’
Rede Brasil Atual; 04/10
https://bit.ly/3mupKVB

O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, foram flagrados com contas em paraísos fiscais, de acordo com investigação do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ, em sua sigla em inglês). As revelações sobre os chamados Pandora Papers foram publicadas neste domingo (3) por diversos veículos de imprensa ao redor do mundo. Para a professora da Faculdade Nacional de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro Luciana Boiteux, trata-se de um caso óbvio de “conflito de interesses”.

 

Ter contas em paraísos fiscais não é ilegal. Mas Guedes e Campos Neto são agentes públicos que podem tomar decisões que favorecem seus próprios interesses. Segundo a jurista, é como “botar raposas para tomar conta do galinheiro”.

 

‘Nada se compara ao parasita brasileiro’, afirma Dowbor sobre capital improdutivo
Rede Brasil Atual; 01/10
https://bit.ly/3mqmlqH

Os dois principais responsáveis por combater a desigualdade no país e fiscalizar o sistema financeiro têm conta em paraísos fiscais. E nessa condição, não se pagam impostos e escondem-se recursos, observou o economista Eduardo Moreira nas redes sociais.

Moreira referia-se ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e a Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central. “E estão promovendo mudanças na lei a seu favor. Escândalo pouco é bobagem”, acrescentou, a respeito das informações sobre contas offshore reveladas por um pool de veículos de informação, na Pandora Papers. Entre eles a revista brasileira Piauí, o espanhol El País e o site Agência Pública, participantes do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ, em inglês). O escândalo mostra o potencial de acúmulo de riqueza do capital improdutivo, sem retorno algum para as economias e a sociedade.