NOTÍCIAS DO DIA

Pais e professores rejeitam aulas presenciais sem limite de alunos, o apagão do CNPq, o ministério do Trabalho ‘para inglês ver’, e mais:

Por quarta-feira, 28 de julho de 2021

As conquistas do sindicato, na negociação dos seus direitos, valem para todas as professoras, professores e auxiliares. Sindicato é assim, todos por um! E como todos se beneficiam, todos podem – e devem – contribuir: seja com a sua sindicalização, seja com a taxa negocial deliberada por todos em assembleia.

Hoje, 28/07 – Pais e professores rejeitam aulas presenciais sem limite de alunos, o apagão do CNPq, o ministério do Trabalho ‘para inglês ver’, e mais: um museu para os antigos sons da Internet

Pais e professores rejeitam retomada de aulas presenciais sem limite de alunos
Rede Brasil Atual; 27/07
https://bit.ly/3f6peKn

 

Em carta ao governo Doria, mais de 90 entidades se manifestaram contra a retomada de aulas presenciais em agosto, sem limite de alunos e com redução do distanciamento social para um metro.

Uma decisão que, segundo a diretora do Sindicato dos Professores de São Paulo (Sinpro-SP), Silvia Barbára, “é fruto da pressão política” de grupos organizados sob o governo. “Como alguns grupos de pais de escolas de elite, médicos pediatras que desde o ano passado vêm pressionando pelo retorno a qualquer custo e conseguiram. As aulas presenciais foram retomadas de maneira menos intensa no final de 2020. E de maneira mais intensa a partir do ano letivo de 2021”, observa a diretora

Na carta, as entidades reafirmam ainda que as medidas necessárias para a retomada das aulas presenciais com segurança, como a vacinação em massa dos profissionais da educação, ainda não foram alcançadas. O que pode colocar a vida de alunos e funcionários em risco, alertam.

“As escolas que estão detonadas. Como você vai falar em higienização se você não tem a lavagem das mãos pelo menos?”, aponta a deputada estadual Maria Izabel Noronha, a professora Bebel (PT-SP), também presidenta do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo (Apeoesp).


CNPq tem apagão e plataforma Lattes sai do ar
Folha de S. Paulo; 27/07
https://bit.ly/3i7vzXP

Os principais sistemas federais da pesquisa brasileira, as plataformas Lattes e Carlos Chagas, vivem um apagão desde sexta-feira (23) após uma falha na área de tecnologia. O problema impacta processos rotineiros relacionados ao fomento à pesquisa, como pagamento, renovações de bolsas e prestações de contas.

Os dois sistemas são de responsabilidade do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), responsável pelo fomento à pesquisa no país. A plataforma Lattes é um banco de dados com todos os currículos de pesquisadores. Ações como a aprovação de bolsas dependem da consulta ao Lattes. Já pela plataforma Carlos Chagas é que se operacionalizam chamadas públicas e editais de fomento à pesquisa, gestão e pagamento de bolsas.

O CNPq publicou nota em que admite o erro, que teria sido identificado no sábado (24). Já faz quatro dias que os sistemas estão fora do ar, mas ainda não há previsão para restabelecimento.


Mensalidade escolar e plano de saúde podem subir se carga tributária aumentar, dizem entidades
Folha de S. Paulo; 27/07
https://bit.ly/379ogc5

Representantes dos setores de educação, saúde e incorporação imobiliária estiveram reunidos nesta terça-feira (27) com integrantes do Ministério da Economia para discutir a reforma tributária e disseram que as mudanças propostas pelo governo podem ter um impacto no bolso do consumidor.

“Pode haver aumento do preço dos planos de saúde e das mensalidades escolares, por exemplo, para amortizar a alta da carga tributária”, diz o advogado tributarista Ricardo Lacaz, sócio do escritório Lacaz Martins, Pereira Neto, Gurevich & Schoueri Advogados.

Entre as associações participantes estavam o Fórum das Entidades Representativas do Ensino Superior Particular, e a Fenep (Federação Nacional das Escolas Particulares).

POLÍTICA EDUCACIONAL

MEC autoriza a abertura de mais 36 cursos superiores
Agência Brasil; 27/07
https://bit.ly/37cxTqd

Foi autorizado pelo Ministério da Educação a abertura de 36 novos cursos totalizando 21.380 vagas em 14 instituições de ensino superior do país. A maior parte das vagas, 19.200, é para cursos na modalidade a distância. As demais 2.180 serão ofertadas na modalidade presencial. A medida está prevista em portarias publicadas no Diário Oficial União do último dia 23 de julho.

As vagas estão distribuídas em uma diversidade de cursos, entre eles, Administração, Publicidade e Propaganda, Gestão Pública, Farmácia, Biomedicina, Educação Física, Turismo, Nutrição, Pedagogia, Direito, Engenharia Civil e Ciências Contábeis. As informações detalhadas dos cursos, vagas e instituições estão publicadas no Diário Oficial.

Bolsonaro desconsiderou 1º da lista em 40% de nomeações para reitor de universidades federais
Folha de S. Paulo; 27/07
https://bit.ly/2TGySMv

Rompendo uma tradição que vigorava desde o final dos anos 1990, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) já nomeou 19 reitores de universidades federais que não foram os mais votados nas eleições internas das instituições.

Isso representa mais de um quarto das 69 universidades e 40% das nomeações feitas por Bolsonaro. Até o final do seu mandato, o presidente ainda poderá escolher outros 13 reitores.

Por lei, as universidades federais definem uma lista tríplice, e cabe ao presidente da República selecionar um dos três nomes. Nas últimas duas décadas, prevaleceu o respeito à vontade majoritária dessas instituições. A última vez em que o 1º colocado havia sido desconsiderado foi em 1998, no governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB).


Inscrições para o Fies começaram nesta terça (27), com 69 mil vagas
Folha de S. Paulo; 27/07
https://bit.ly/37cxTqd

As inscrições para o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) do segundo semestre de 2021 começam nesta terça (27) e terminam na sexta (30).

O Fies é um programa de financiamento em instituições privadas de ensino superior para estudantes de baixa renda. Este ano serão oferecidas 69 mil vagas em 1.324 instituições. As inscrições devem ser feitas no portal do programa.

Para se candidatar, o aluno precisa ter feito o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) entre os anos de 2010 e 2020, obtido média igual ou superior a 450 pontos e não ter zerado na redação. É necessário também comprovar renda familiar mensal bruta, por pessoa, de até três salários mínimos.

 

 

TRABALHO

Bolsonaro recria Ministério do Trabalho, para ‘inglês ver’
Diap; 28/07
https://bit.ly/3f2m36I

Para alojar o senador Ciro Nogueira (PP-PI) no comando da Casa Civil, o presidente Jair Bolsonaro teve de promover minirreforma ministerial. Nessa mexida das peças do tabuleiro, o presidente recriou o Ministério do Trabalho e Previdência, por meio da MP (Medida Provisória) 1.058, de 27 de julho, cujo texto foi publicado no DOU (Diário Oficial da União) desta quarta-feira (28).

 

Desse modo, Trabalho e Previdência saem da esfera e comando da Economia, sob o ministro Paulo Guedes, e voltam assim a ter status ministerial.

Mas que ninguém se iluda. Bolsonaro não recriou o Ministério do Trabalho e Previdência para enfrentar a profunda crise do desemprego no Brasil, agravada pela pandemia da Covid-19. O fez apenas para acomodar interesses político-legislativos, que nesse caso, significa acomodar melhor na Esplanada, o chamado “Centrão”, que lhe dá sustentação no Congresso Nacional.

Dirigentes questionam nova pasta do Trabalho
Agência Sindical; 27/07
https://bit.ly/3iVWvJr

Para o professor Celso Napolitano, que preside a Federação dos Professores de SP (Fepesp) e o Diap – Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar, a ideia do governo, afora a acomodação partidária, “é ter em mãos um instrumento pra implantar a Carteira verde-amarela, cortar direitos e impor o padrão de trabalho dos Aplicativos – APPs”.

 

Segundo o dirigente, o movimento não deve participar de eventuais reuniões que legitimem a manobra, que, a seu ver, “visa criar emprego sem proteção ou direitos”. O desmonte do Ministério do Trabalho, ele recorda, teve a ação direta de Paulo Guedes, “em sintonia com o capital financeiro e a Faria Lima, que o representa”.

Memória – No primeiro dia de governo, 1º de janeiro de 2019, o presidente Bolsonaro extinguiu o Ministério do Trabalho. A pasta, criada por Getúlio Vargas na Revolução de 1930, virou secretaria do Ministério da Fazenda.

A segunda maldade foi nomear Secretário o não-reeleito deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), relator da reforma trabalhista de Michel Temer (Lei 13.467) que desmontou a Consolidação das Leis do Trabalho – CLT e feriu de morte as finanças sindicais.

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Startup de educação Byju’s, da Índia, chega no Brasil
Valor Econômico, 27/07
https://bit.ly/3xcc9Wa

Avaliada em US$ 17 bilhões e com um seleto grupo de investidores, a startup de educação Byju’s Future School, da Índia, está desembarcando no Brasil com cursos on-line de programação para crianças e adolescentes.

Entre os investidores da edtech estão os fundos Black Rock, General Atlantic, Naspers, Tiger, fundo de pensão do Canadá, de Chan Zuckerberg,  


Fortuna de magnata da educação na China encolhe US$ 15 bilhões com maior controle do país ao setor
InfoMoney, 27/07
https://bit.ly/3l66i28

Larry Chen, um ex-professor que se tornou uma das pessoas mais ricas do mundo, perdeu o status de bilionário em meio aos controles da China sobre o setor de educação privada.

 

Chen, fundador, presidente do conselho e CEO da Gaotu Techedu, agora tem uma fortuna de US$ 336 milhões, segundo o Índice de Bilionários da Bloomberg. As ações da empresa de aulas particulares online de Chen caíram quase 65% nas negociações em Nova York na sexta-feira em reação à revisão regulatória.

No sábado, a China divulgou novos regulamentos que proíbem empresas que oferecem conteúdo de currículo escolar de obter lucro, captar fundos ou abrir o capital.

CORONAVÍRUS

Variante delta eleva mortes no mundo. No Brasil, 3,8 milhões não tomaram a segunda dose
Rede Brasil Atual; 27/07
https://bit.ly/3i7t2gh

A variante delta já circula no Brasil. Entretanto, ainda não de forma dominante, algo esperado a partir das próximas semanas. O grande número de brasileiros ainda não vacinados preocupa especialistas. Até o momento, apenas 18,91% da população estão imunizados com as duas doses de um dos imunizantes disponíveis no país. Também preocupa o grande número de pessoas que não retornaram para a segunda dose. De acordo com boletim epidemiológico de hoje do Ministério da Saúde, 3,8 milhões de brasileiros não completaram a imunização. A falha pode favorecer a expansão do contágio.

 

 


 

Como é o museu online dos sons antigos da internet
Nexo; 27/07
https://bit.ly/372Q8OY

Entre os anos 1990 e parte dos 2000, a internet era discada e os videocassetes eram item essencial para quem gostava de filmes. Eram equipamentos que produziam sons bem característicos. Esse sons estão reunidos no Museum of Endangered Sounds (museu dos sons ameaçados, em tradução livre).

O site do museu dos sons ‘extintos’ está aqui.

O site traz sons antigos e marcantes de equipamentos, jogos e da internet de décadas atrás. A criação foi a maneira que o americano Brendan Chilcutt encontrou de preservar alguns dos seus sons eletrônicos favoritos, como ele descreve na página do museu online.

Entre os ruídos disponíveis no site criado em 2012 estão os produzidos pelo jogo Pac-Man, pelo Game Boy, console portátil da desenvolvedora Nintendo, além do toque (ou ringtone) do celular Nokia.

Os sons ficam disponíveis logo na abertura do site, dispostos em imagens que representam do que se trata. Basta clicar na imagem desejada e ouvir o som produzido. Para encerrar a reprodução é preciso clicar novamente. Também é possível clicar em várias imagens ao mesmo tempo, gerando uma “música industrial”, como explica o aviso no início da navegação.