NOTÍCIAS DO DIA

Primeira audiência do dissídio na Ed. Básica será amanhã, apenas uma universidade privada na lista das dez mais, educação híbrida na pauta do Senado, e mais:

Por quarta-feira, 14 de julho de 2021

É dever constitucional, legal, ético e missionário da ‘Educação Metodista’ quitar, integralmente, todos os débitos trabalhistas, contraídos com seus empregados e ex-empregados. Porém, não é isso o que se colhe do plano. Leia aqui:  https://bit.ly/3yViLJN

 

 

 

Doria acaba com home office de funcionários públicos no Estado de São Paulo
Valor Econômico; 14/07
https://glo.bo/3xH5Nz1

O governador de SP, João Doria, decidiu acabar com o home office na administração pública do estado, após mais de um ano do teletrabalho, adotado no início da pandemia. Os servidores devem retornar ao trabalho presencial, com exceção daqueles que fazem parte do grupo de risco e ainda não estiverem imunizados. As secretarias foram informadas na última quarta (7) pela Coordenadoria de Recursos Humanos, e cada órgão deve definir como e quando será o retorno.

Secretaria de Educação já havia decidido pelo retorno na última quinta (8). Segundo a pasta, a decisão levou em conta o avanço da vacinação entre os profissionais da educação básica, que tem cerca de 800 mil com a imunização em andamento e 280 mil, já finalizada.

 

Educação Básica: Justiça marca primeira audiência do dissídio coletivo 2021 para amanhã, 15 de julho
Fepesp; 13/07
https://bit.ly/36Afx2d

O Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região marcou para a próxima quinta-feira, dia 15 de julho,  audiência de conciliação entre a Fepesp [e demais sindicatos integrantes na Campanha Salarial 2021]  e as entidades patronais – Sieeesp e Feesp, que representam as escolas de educação básica no estado de São Paulo. Por conta da pandemia a sessão será realizada por videoconferência, a partir das 16h.

 

Minuto Fepesp: Sindicalização, quarta parte
Fepesp; 14/07
Quem te garante na negociação com o patrão? Na convenção coletiva negociada pelo seu sindicato, você tem garantidas suas férias, recesso de professores, bolsas de estudos para dependentes de professores e auxiliares, e mais. O sindicato negocia – e você faz o sindicato forte para negociar mais e melhor. Clique na imagem ou aqui para assistir.

 

As melhores universidades do Brasil, segundo ranking britânico
G1; 13/07
https://glo.bo/3AZHVZz

O Brasil é o país com o maior número de universidades que compõem a edição 2021 do ranking latino-americano do Times Higher Education (THE), um dos principais indicadores de educação superior do mundo. Divulgado nesta terça-feira (13), o ranking é liderado pela Pontifícia Universidade Católica do Chile, que manteve a mesma posição pelo terceiro ano consecutivo.

USP cai em ranking internacional de universidades, mas Brasil aumenta participação em lista: sete das demais universidades do top 10 são brasileiras – a começar pelas paulistas USP e Unicamp –, junto a uma universidade mexicana. A maioria das universidades brasileiras listadas no topo do ranking é pública.

Eis a lista das universidades latino-americanas mais bem avaliadas pelo THE:

1. Pontifícia Universidade Católica do Chile
2. Universidade de São Paulo (USP)
3. Universidade de Campinas (Unicamp)
4. Instituto de Tecnologia de Monterrey (México)
5. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
6. Universidade do Chile
7. PUC-Rio
8. Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
9. Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)
10.Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

 

Minas Gerais: volta às aulas é marcada por greve, retorno parcial e baixa adesão dos alunos
Radio Itatiaia; 13/07
https://bit.ly/3i3X6bA

Apesar da greve sanitária dos professores, as aulas presenciais foram retomadas em parte das escolas estaduais. Em algumas regiões, houve baixa adesão, em outras, o ensino nas salas de aula ainda não foi autorizado.

Em Belo Horizonte 121 escolas estaduais voltaram a funcionar nessa segunda-feira (12) para turmas presenciais entre o 1º e o 5º ano do ensino fundamental. De acordo com os números divulgados pela Secretaria de Estado da Educação, essas escolas reúnem 34 mil crianças e adolescentes, além de 1500 professores. Também segundo a secretaria, a retomada ao ensino presencial deste público está acontecendo em formato híbrido, ou seja, no esquema de revezamento semanal: em uma semana as aulas são presenciais e na outra o atendimento é remoto.

 

CORONAVÍRUS

CPI da Covid: diretora da Precisa se recusa a falar
Rede Brasil Atual, 13/07
https://bit.ly/3hJEyyB

A diretora técnica da Precisa Medicamentos, Emanuela Medrades, disse que exercerá seu direito ao silêncio, na abertura da CPI da Covid, nesta terça-feira (13). Ela teve o direito assegurado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, que também garantiu a obrigatoriedade dela comparecer ao Senado.

O presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (PSD-MA) abriu a sessão lembrando que Emanuela possui um habeas corpus concedido em parte por Luiz Fux, acrescentando que ela não pode ser presa e não precisa prestar compromisso de falar a verdade. Porém, a diretora da Precisa disse que já prestou depoimento sobre os fatos investigados à Polícia Federal e por orientação de seu advogado permaneceria em silêncio.


Variante delta ameaça recuo da pandemia. Brasil chega a 536 mil mortes
Rede Brasil Atual; 13/07
https://bit.ly/3i6SKjT

A covid-19 segue letal no Brasil. Nas últimas 24 horas, foram registradas 1.605 mortes pela doença, e o país se aproxima de 536 mil vidas perdidas na pandemia. De acordo com dados das secretarias estaduais de Saúde, 535.838 brasileiros morreram em decorrência do vírus até o momento. Os novos casos de ontem para hoje foram 45.022, totalizando 19,152 milhões desde o início da pandemia.

Com taxa de mortalidade 4,4 vezes superior à média mundial, o Brasil segue como epicentro da covid-19 no mundo. Em 2021, é o país onde mais pessoas morreram da doença, apesar de o avanço da vacinação começar a dar sinais positivos. Embora com atraso, o processo de imunização já salvou, a partir de estimativas conservadoras, ao menos 60 mil. Em números gerais, a disseminação do vírus também segue uma tendência de recuo. Porém, ainda com incertezas quanto ao potencial de disseminação da variante delta.

 

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Com quadro preocupante, senadores ouvem ideias para educação pós-pandemia
Correio Braziliense; 13/07
https://bit.ly/3iddx5x

Senadores e especialistas traçaram um quadro preocupante dos danos causados à educação pela pandemia da covid-19, em sessão temática remota nesta segunda-feira (12) no Plenário virtual do Senado. Diversas ações foram propostas para minimizar esses danos e impedir um prejuízo ainda maior nos próximos anos.

Formas de conciliar o ensino a distância — que não deixará de existir — com o ensino presencial foi um dos temas da sessão. O assunto foi tratado por Maria Inês Fini, presidente da recém-criada Associação Nacional de Educação Básica Híbrida (Anebhi), fundada para ajudar professores e gestores a se capacitarem para as novas formas de educação.

 

Comissão de Educação debate processo de escolha de dirigentes universitários
Agência Câmara; 13/07
https://bit.ly/3xEicnq

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados promove audiência pública na sexta-feira (16) para discutir o  Projeto de Lei 2699/11, da ex-deputada Sandra  Rosado, que institui voto paritário entre professores, alunos e servidores técnico-administrativos nos processos de escolha de dirigentes universitários (reitores, vice-reitores, diretores e vice-diretores).

Como é permitida a realização de consulta prévia à comunidade acadêmica para a composição da lista, tornou-se prática comum no Brasil a nomeação dos dirigentes a partir de “eleições internas”.

“Ocorre que tal modelo foi objeto de forte ataque pelo governo federal nos últimos anos, que se valeu da prerrogativa de indicar qualquer nome da lista tríplice para não indicar o primeiro colocado nas eleições internas das instituições de ensino”, aponta o relator.

O relator destaca que a postura reiterada de Jair Bolsonaro originou ações no Supremo Tribunal Federal (STF) – ADI 6.565 e ADPF 759 –, que decidiu pela constitucionalidade da indicação de nome diverso do primeiro colocado na lista.

 

 

Os novos esportes da Olimpíada de Tóquio. E as chances do Brasil
Nexo; 13/07
https://bit.ly/3B3PXk8

Os Jogos Olímpicos de Tóquio começam em 23 de julho e vão até 8 de agosto marcados por uma série de ineditismos infelizes pela preocupação com a pandemia de covid-19 – depois de adiada em um ano pela primeira vez na história, as competições vão acontecer diante de arquibancadas vazias e com protocolos sanitários rígidos. Mas uma novidade positiva do evento virá na forma da estreia de quatro modalidades esportivas nos Jogos. São elas: karatê, surfe, skate e escalada esportiva.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio tem inicio na sexta-feira, 23 de julho de 2021 e vão até o domingo, 8 de agosto.

 

Além das estreantes, volta para a lista de esportes olímpicos o beisebol (também chamado de softbol), disputado pela última vez em Pequim, em 2008, mas que não fez parte dos jogos de Londres, em 2012, e do Rio de Janeiro, em 2016. Nos cinco esportes que voltam à cena em 2021, os atletas serão premiados normalmente, mas as medalhas não contarão no quadro geral de cada país.

A inclusão dos novos esportes por parte do COI (Comitê Olímpico Internacional) é uma tentativa de modernizar o programa – em 2024, nos Jogos de Paris, o breakdance (dança de rua) será incorporado.

O Brasil se destaca sobretudo no surfe, com o nome do bicampeão mundial Gabriel Medina. No skate, levará a atleta Leticia Bufoni, cinco vezes medalha de ouro no X-Games, considerada a “copa do mundo” do esporte.

Veja aqui mais detalhes das novas modalidades e quais as chances do Brasil em cada uma.

 

Medalhas das Olimpíadas de Tóquio foram feitas com partes de celulares e computadores reciclados
G1; 14/07
https://glo.bo/36CZUr0

Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio terão 100% de suas medalhas fabricadas com metais reaproveitados do lixo eletrônico.

Dispositivos como celulares e computadores foram desmontados no Japão reutilizar ouro, prata e bronze, presentes em componentes como as placas de circuito.

Smartphones e PCs possuem pequenas quantidades dos metais utilizados nas medalhas em suas placas-mães, que são a base para conectar outros itens, por exemplo. Para conseguir fazer aproximadamente 5.000 medalhas para os Jogos, a organização do evento precisou recolher uma quantidade enorme de lixo eletrônico.

Foram mais de 6 milhões de telefones celulares usados e mais de 78 toneladas de computadores, tablets, monitores e outros aparelhos antigos ou quebrados.