NOTÍCIAS DO DIA

Patronal foge de acordo no dissídio da Educação Básica, Doria encerra home office e pega covid outra vez, E MAIS...

Por sexta-feira, 16 de julho de 2021

 

Tribunal faz proposta de manutenção de cláusulas em sessão no TRT nesta quinta, mas patronal não quer aceitar sugestão da corte. Insistem em voltar à convenção de 2018. Dissídio vai a julgamento.
Saiba mais: https://bit.ly/3kqVJq3 

Educação Básica: patronal insiste em reverter direitos e recusa acordo no tribunal do trabalho
Rádio Peão Brasil; 15/07
https://bit.ly/36HBxIs

Os representantes de escolas particulares do Ensino Básico recusaram a proposta de conciliação formulada hoje, 15/07, no Tribunal de Trabalho, em sessão do dissídio coletivo de professores e auxiliares representados pelos sindicatos integrantes da Federação dos Professores de São Paulo.

O desembargador Edilson Soares de Lima propôs que o impasse entre os trabalhadores e o lado patronal fosse resolvido com o pagamento de reajuste salarial de 6,29% a partir de 1º de março (data base das categorias), além da manutenção de todas as cláusulas sociais em vigor e estabilidade provisória de 30 dias aos trabalhadores.

Com a rejeição de acordo pelo lado patronal, o desembargador Edilson Soares de Lima encaminhou o processo à manifestação do Ministério Público do Trabalho para, em seguida, ser designado o relator do dissídio coletivo, que o remeterá a julgamento em data ainda a ser determinada.

 

Minuto Fepesp
Fepesp; 16/07
Nossas propostas são justas, bem argumentadas e vamos ao julgamento do Tribunal neste dissídio da Educação Básica. Vamos manter nossa posição e defender nosso ponto de vista – com o apoio das professoras, professores e auxiliares. E isso é o que demonstra a importância da sindicalização.


Ribeirão Preto: prefeitura quer antecipar 2ª dose de vacina em professores
A Cidade; 15/07
https://glo.bo/3xJLscz

A Prefeitura de Ribeirão Preto pediu para o governo estadual a antecipação da segunda dose da vacina contra o novo coronavírus (covid-19) para os profissionais da educação. O município pretende antecipar o retorno das aulas presenciais nas escolas da rede municipal para o mês de agosto.

A prefeitura ainda aguarda resposta sobre a solicitação. De acordo com decisão da Justiça do Trabalho, e acordo firmado entre a secretaria da Educação e o sindicato dos Servidores Municipais, a abertura das escolas só pode ocorrer se a prefeitura seguir uma série de medidas, entre elas, a vacinação integral dos profissionais.

 

Aracaju: em assembleia, profissionais da educação e da saúde realizaram protestos
G1; 15/07
https://glo.bo/3xJLscz

Na manhã desta quinta-feira (15), profissionais da educação e da saúde realizaram protestos em Aracaju, para reivindicar reajustes de salários e outros benefícios.

Professores de diversas regiões do estado se concentraram em uma vigília na porta do Tribunal de Contas do Estado (TCE). O objetivo era acompanhar a sessão do pleno do Tribunal de Contas, que iria discutir o pedido de esclarecimento de que não há impedimento legal para a aplicação da revisão do piso na carreira do magistério.

“Essa vigília é para pedir a todos os conselheiros que reconsiderem a decisão que foi feita anteriormente de modo a deixar claro para os prefeitos de Sergipe e ao governo do estado, que o direito ao reajuste do piso dos professores está assegurado neste momento de pandemia”, explica o presidente da CUT, Roberto Silva.

 

CORONAVÍRUS

João Doria pega Covid-19 pela segunda vez
Folha de S. Paulo, 15/07
https://bit.ly/3emEhQ0

O governador João Doria (PSDB-SP) foi reinfectado pelo novo coronavírus, quase um ano após ter tido Covid-19.

Em vídeo distribuído nas suas redes sociais, o tucano afirma que está “se sentindo muito bem e disposto”. “Tenho convicção de que estou sendo protegido contra o agravamento da doença pela vacina do Butantan, a qual já tomei as duas doses”, disse.

“Meu caso serve de alerta para todos que já foram vacinados seguirem respeitando os protocolos, como uso de máscaras e álcool gel. Pois, todos estão suscetíveis a serem infectados e transmitir o vírus, mesmo vacinados. Não importa a vacina, elas evitam o agravamento da doença, não a infecção”, afirmou no vídeo.

Enquanto Doria encerra home office, judiciário prorroga regime híbrido
Poder S/A; 15/07
https://bit.ly/3ktjD4e

Enquanto o governo Doria determina a volta ao trabalho presencial para os funcionários públicos da administração direta e autarquias do estado, o Tribunal de Justiça e o Ministério Público de SP estenderam até 19 de setembro o regime parcial de teletrabalho. Desde o ano passado, o tribunal tem adotado o retorno gradual, com base no Plano São Paulo, mantendo parte dos servidores em casa ou no escritório. A equipe ficou totalmente no home office só nas fases mais agudas da pandemia.

O processo de desmontagem do teletrabalho dos funcionários do governo Doria não vai deixar que os não vacinados contra a Covid-19 fiquem em casa —nem os que se negaram a tomar vacina nem os que estão na faixa etária ainda sem acesso ao imunizante.

CPI: Representante da Davati diz que pedido de propina veio do ‘grupo do coronel Blanco’
Rede Brasil Atual; 15/07
https://bit.ly/3yYVd6O

O representante de vendas da Davati no Brasil, Cristiano Carvalho, afirmou à CPI da Covid, nesta quinta-feira (15), que o pedido de propina relativo à compra da vacina da Astrazeneca partiu do “grupo do coronel Blanco”. O tenente-coronel Marcelo Blanco, então assessor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde, esteve presente no jantar com então diretor de Logística, Roberto Dias, que teria pedido propina de US$ 1 por dose de vacina.

Segundo Cristiano Carvalho, o pedido de propina para a compra de vacinas, que os envolvidos chamariam de “comissionamento”, teria partido do “grupo do coronel Blanco” e de “Odilon”, que teria apresentado o representante da Davati Medical Supply no Brasil, Luiz Paulo Dominghetti ao coronel Blanco.

 

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Só rindo: ministro pede apoio de professores para retorno às aulas
Agência Brasil; 15/07
https://bit.ly/3hHnedb

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, pediu hoje (14), durante o lançamento das ações previstas para o novo ensino médio, o apoio de professores para o retorno às aulas dos estudantes brasileiros. “Precisamos dar uma resposta a nossos jovens no presente e no futuro. Não podemos abandoná-los com escolas fechadas”, disse o ministro.


Sem isenção a faltosos na pandemia, Enem 2021 tem menor número de inscritos em 13 anos
Folha de S. Paulo; 15/07
https://bit.ly/3eqqLe6

O governo Jair Bolsonaro registrou forte redução nas inscrições no Enem 2021 e esta será a menor edição em 13 anos. Inscreveram-se para o exame 4 milhões de pessoas.

O número representa recuo de 44% com relação ao volume de inscritos no ano passado. Só em 2008, antes de o Enem ser transformado em vestibular nacional, houve menos inscritos do que neste ano.

A queda nas inscrições é reflexo, segundo integrantes do governo ouvidos pela Folha, da ausência de uma política do governo Jair Bolsonaro para garantir isenção a quem faltou na última edição por medo da Covid. No Enem 2020, realizado em meio à pandemia, houve abstenção recorde e mais da metade dos 5,8 milhões de inscritos faltou.

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Cruzeiro do Sul compra Instituição Universitária Moura Lacerda por R$ 54 milhões
Valor Econômico; 15/07
https://glo.bo/3B7CqYR

Cruzeiro do Sul Educacional anunciou ao mercado nesta quinta-feira (15) a aquisição da Instituição Universitária Moura Lacerda. O negócio foi fechado por R$ 54 milhões, que estão sujeitos a ajustes e serão pagos em cinco anos.

De acordo com o comunicado, a instituição, sediada em Ribeirão Preto (SP), tem aproximadamente 3 mil alunos, da educação básica à pós-graduação. A Moura Lacerda possui ainda operações na cidade de Jaboticabal. A Cruzeiro do Sul destaca que o Centro Universitário Moura Lacerda, controlado pela instituição, possui 98 anos de história e é “uma das mais tradicionais instituições de educação do interior paulista”.

 

Homicídios voltam a crescer no Brasil após dois anos de queda
Nexo; 15/07
https://bit.ly/3klXSn7

Mesmo em meio à pandemia de covid-19, o Brasil registrou um aumento de 4,8% no número de mortes violentas em 2020. Os dados são do Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta quinta-feira (15). Foram 50.033 mortes, contra 47.742 em 2019. O aumento da letalidade no país ocorreu após dois anos de queda nos índices de assassinatos.

Na definição do relatório, mortes violentas intencionais são a soma dos homicídios dolosos (com intenção de matar), que subiram 5,3%, lesões corporais seguidas de morte, latrocínios (matar para roubar) e mortes decorrentes de intervenção policial. Com as ocorrências nos 12 meses de 2020, a taxa de assassinatos é de 23,6 casos a cada 100 mil habitantes.

A maior parte (78%) foi causada pelo uso de armas de fogo. As principais vítimas foram pessoas negras (76,2%), jovens (54,3%) e homens (91,3%).

Os índices de mortes violentas no país vinham registrando queda desde 2018. De acordo com o relatório, há duas explicações para o aumento: mudanças nas dinâmicas do crime organizado, com disputas entre facções, e o aumento de armas de fogo em circulação. Há 1,8 milhão delas somente com cidadãos comuns, segundo o estudo. Os registros de armas no país aumentaram 91% na comparação com 2019.