NOTÍCIAS DO DIA

Especialistas condenam medidas de segurança para volta às aulas, um processo contra professor que não toma vacina, hoje tem esquenta para novo protesto, e mais:

Por terça-feira, 13 de julho de 2021

 

Terceiro episódio da série Sindicalização: Celso Napolitano apresenta o conceito de unicidade sindical e as ameaças à atuação sindical com a arbitrariedade do governo federal ao comprometer a sustentação financeira dos sindicatos.

 

 

 

 

Medidas de segurança adotadas para reabertura de escolas são insuficientes, apontam pesquisadores
Folha de S. Paulo; 12/07
https://bit.ly/2TZqTdE

Medidas adotadas pelo governo federal, pelos estados e pelas capitais para a reabertura das escolas são insuficientes para garantir segurança a alunos, professores e funcionários, de acordo com um grupo de pesquisadores que monitora as políticas de enfrentamento da pandemia.

Ligado à Rede de Pesquisa Solidária, que articula instituições acadêmicas públicas e privadas, o grupo fez uma análise minuciosa das providências tomadas nas três esferas de governo desde o início do ano e identificou falhas nos protocolos estabelecidos para retomada das aulas presenciais.

Os pesquisadores também criticam protocolos de vários governos locais, por darem ênfase a medidas como aquisição de termômetros e limpeza de superfícies e deixarem em segundo plano outras que contribuiriam mais para deter a Covid-19, como os testes e a distribuição de máscaras de qualidade.

 

 

Governo de SP anuncia expansão do número de escolas de tempo integral
Estadão; 12/07
https://bit.ly/3e8OejR

Em um evento para quase mil pessoas, o governo de São Paulo anunciou nesta segunda-feira, 12, a expansão do número de escolas de tempo integral no Estado. Segundo o governo, serão 778 novas escolas a partir de 2022, totalizando 1.855 colégios com jornada estendida – um terço da rede. O anúncio da expansão das escolas de tempo integral foi realizado pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e pelo secretário estadual da Educação, Rossieli Soares, em um auditório no Memorial da América Latina, na zona oeste de São Paulo.


O que a ‘Educação Metodista’ não disse sobre o seu plano de recuperação judicial
Sinpro Campinas, Sinpro ABC; 12/07
https://bit.ly/3wzcB0l

É dever constitucional, legal, ético e missionário da “Educação Metodista” quitar, integralmente, todos os débitos trabalhistas, contraídos com seus empregados e ex-empregados. Porém, não é isso o que se colhe do plano. [O plano de recuperação judicial apresentado pela Metodista] prima pela cristalina tentativa de fazer do assolamento dos direitos trabalhistas,

Não resta aos trabalhadores, sejam os que mantém vínculo com as instituições metodistas, sejam os que delas já se desligaram, como único meio de preservar seus sagrados direitos trabalhistas, a rejeição, a uma só voz, desse maléfico e indecente plano de recuperação judicial.

Na próxima sexta-feira, dia 16 de julho, às 17 horas faremos uma reunião virtual, nacional, para tratarmos especificamente do plano de recuperação judicial apresentado.

 

 

CORONAVÍRUS

Professores que recusarem vacinas contra Covid podem responder processo, diz MP da Paraíba
P5, 12/07
https://bit.ly/3efs6nT

Às vésperas do retorno das aulas presenciais, a vacinação contra a Covid-19 dos profissionais da educação recebe o monitoramento por promotores de Justiça do Ministério Público da Paraíba (MPPB). Negativas ao recebimento do imunizante podem ter processo administrativo aberto pelas secretarias de educação.

Na Paraíba, as aulas presenciais na rede estadual devem ser retomadas em setembro, segundo o secretário de Estado da Educação, Cláudio Furtado. Em João Pessoa, o retorno das instituições municipais deve ocorrer em agosto, conforme o prefeito Cícero Lucena (PP).


Por que o caso Covaxin pode ser grave mesmo sem pagamento
Nexo; 11/07
https://bit.ly/3r64BCU

Vacina indiana não foi entregue e o contrato acabou suspenso pelo Ministério da Saúde. Mesmo assim, pode ter havido dano à administração pública e ações que configuram crimes.

Desde que as irregularidades na aquisição das vacinas Covaxin passaram a ser investigadas pela CPI da Covid no fim de junho de 2021, o governo Jair Bolsonaro e parlamentares aliados têm tentado minimizar o caso, destacando que a compra não chegou a ser efetivada.

“Inventaram a corrupção virtual, né? Não recebemos uma dose, não pagamos um centavo”, disse o presidente a apoiadores. Mas as repercussões políticas e jurídicas das suspeitas já se multiplicam, com efeitos em manifestações de rua, em pedidos de impeachment e em investigações de órgãos de controle.

 

 

 

TRABALHO

Em ‘esquenta’ para o #24J, movimentos sociais voltam às ruas nesta terça
Rede Brasil Atual; 11/07
https://bit.ly/3wBVPhd

Com objetivo de manter as ruas ocupadas e aumentar a pressão sobre o governo federal, diversos movimentos sociais convocaram protestos para esta terça-feira (13) contra o governo Bolsonaro. As manifestações nas principais capitais (confira mais abaixo quadro de atividades confirmadas) fazem a defesa do controle público dos Correios. Assim, vários atos como em Brasília, às 10h, se concentram diante de unidades da empresa. As manifestações criticam ainda a “reforma” administrativa prevista na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32. E se apresentam como uma quarta jornada nacional pelo “Fora Bolsonaro”, uma espécie de “esquenta” para o próximo 24 de julho, o #24J.

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Inscrições para o Prouni começam hoje, 13/07
Agência Brasil; 13/07
https://bit.ly/3ew7NTx

Começam nesta terça (13) e vão até sexta-feira (16) as inscrições para o Programa Universidade para Todos (Prouni), do Ministério da Educação. O programa oferece bolsas de estudo, integrais e parciais (50%), em instituições particulares de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior.

O resultado da primeira chamada está previsto para o dia 20 de julho.

Para concorrer às bolsas integrais, o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até 3 salários mínimos por pessoa.

Somente poderá se inscrever no Prouni o estudante brasileiro que não possua diploma de curso superior e que tenha participado do Enem mais recente e obtido, no mínimo, 450 pontos.

 

Museu da Língua Portuguesa reabre com acervo duplicado e novas seções
Valor Econômico; 13/07
https://glo.bo/3hBusiV

Quase seis anos após o incêndio que destruiu parcialmente o prédio da Estação da Luz, o Museu da Língua Portuguesa reabrirá suas portas no dia 31 de julho, em cerimônia que será transmitida pelos canais da instituição no Facebook e YouTube. O museu volta agora com 14 experiências, o dobro do que havia até 2015.

Parte do acervo audiovisual original foi mantida e atualizada. Mas as novidades dominam as novas exposições de longa duração, entre elas as instalações “Línguas do Mundo”, que se debruça sobre 23 das mais de 7 mil línguas faladas hoje no planeta, e “Falares”, um mergulho nos diferentes sotaques e expressões do idioma no Brasil.

A abertura para o público geral será em 4 de agosto. Devido à pandemia, o museu terá, de início, capacidade restrita, seguindo protocolo do Plano São Paulo, de contenção da covid-19 do governo do Estado. A partir do próximo dia 31 os ingressos poderão ser adquiridos exclusivamente pela internet, com dia e hora marcados.

Os visitantes receberão pequenos dispositivos, parecidos com chaveiros, com que poderão acionar as telas interativas sem a necessidade de tocá-las.

Do acervo original, foram mantidos a narração de um poema de Arnaldo Antunes, que o visitante ouve no elevador panorâmico que dá acesso ao museu. E ainda a instalação “Palavras Cruzadas”, com as línguas que influenciaram o português brasileiro, e a Praça da Língua, que homenageia o português escrito, falado e cantado, num espetáculo de som e luz.

Entre as novidades, além de “Línguas do Mundo” e “Falares”, está a instalação “Nós da Língua Portuguesa”, que aborda o idioma no mundo, a diversidade cultural da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).