Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de
Ensino de Presidente Prudente e Região

NOTÍCIAS DO DIA
Fusões e aquisições de escolas batem recorde, vem aí assembleia do Senac, home office ainda é para poucos, e mais: sabe a diferença entre vírus e protozoário?

segunda-feira, 7 de junho de 2021

 

 



Fusões e aquisições batem recorde, mas nem todas devem prosperar
Folha de S. Paulo; 06/06
https://bit.ly/3iivQYG

As operações de fusão e aquisição disparam no país bateram recorde no primeiro trimestre deste ano. Segundo dados da KPMG, que faz levantamentos sobre esses negócios desde o início dos anos 2000, foi o melhor trimestre da história.

Setores como educação e saúde apresentam um excesso de jogadores, parte deles mal gerenciados”, diz o professor associado da FDC (Fundação Dom Cabral), Paulo Vicente. “Em meio a uma crise, quem tem dinheiro compra quem não tem”, afirma. Para o especialista, porém, é difícil fazer uma avaliação adequada do quanto vale o outro lado. “Nem tudo é assimilado durante uma due diligence na companhia alvo”, lembra.

Em 2020, a Ânima comprou a FMU e a Anhembi Morumbi da Laureate, multinacional americana que deixou o país. Na disputa pela operação, também estava a Ser Educacional, que desistiu do seu direito de igualar propostas concorrentes, levando apenas dois ativos por R$ 180 milhões: o Centro Universitário dos Guararapes e a Faculdade Internacional da Paraíba.

Apesar da maior visibilidade de outras marcas da Laureate, a Ser escolheu a dedo os dois ativos adquiridos, por serem marcas relevantes em regiões estratégicas e apresentarem um bom preço.

Na última segunda (31), a Ser anunciou a aquisição da Fael (Faculdade Educacional da Lapa), que oferece cursos superiores 100% online, por R$ 280 milhões.

O grupo planeja mais aquisições para fortalecer e ampliar a presença em regiões em que não é tão atuante, bem como em cursos de saúde, que concentram quase a metade dos alunos da Ser. Outro foco são EdTechs, empresas de tecnologia para educação —em 2020, a Ser comprou a Beduka.

Sorocaba: Escolas contabilizam 156 casos de Covid-19 em 2021 na cidade
Cruzeiro do Sul; 06/06
https://bit.ly/2RsJQUA

Sorocaba já confirmou o total 156 casos de Covid-19 em unidades escolares da cidade, sendo 20 estabelecimentos públicos e cinco particulares. Os nomes das escolas não foram informados. Os casos da doença foram confirmados pela Prefeitura e são tanto em alunos, como professores e funcionários.

Os 156 casos de 2021 são quase cinco vezes maior do que os registrados em 2020 na comunidade escolar de Sorocaba. Em 2020, conforme os dados divulgados pela Prefeitura, são de 36 casos confirmados em oito escolas particulares.

Sinpro Sorocaba: nota de protesto e apoio a professoras e professores
Sinpro Sorocaba; 05/06
https://bit.ly/3v5nKFG

Sinpro-Sorocaba vem, por meio desta, manifestar, junto as professoras e aos professores, sua profunda indignação e revolta frente aos últimos acontecimentos envolvendo o Colégio Uirapuru, no que se refere ao surto de Covid-19, atingindo todos os atores do ambiente escolar, amplamente divulgado pela mídia.

Comunicamos que tomaremos todas as medidas cabíveis, rapidamente, em todos os campos, de modo a restabelecer a razoabilidade administrativa e o respeito aos trabalhadores, como princípios norteadores do  colégio.

Por fim, colocamo-nos à disposição de todas as professoras e aos professores. Não vai ficar assim.

Santo André e São Caetano ignoram vacinação de educadores particulares
Repórter Diário; 05/06
https://bit.ly/3cnMzpG

Educadores da rede particular de ensino ainda não podem se vacinar em Santo André e São Caetano, apesar da retomada das aulas presenciais. Em nota, a Prefeitura de Santo André alega que, inicialmente, a vacinação é destinada somente aos profissionais da rede municipal e que pretende vacinar toda a Pasta até julho, assim como São Caetano que estima iniciar a vacinação dos professores particulares no mês sete.

O Sinpro (Sindicato dos Professores das Escolas Privadas do ABC) manifestou nota de repúdio nesta sexta-feira (04/06), contra a postura adotada pelas administrações públicas, uma vez que as instituições particulares já estão em funcionamento. Em ambos os municípios, a imunização de educadores da rede pública será iniciada e em São Caetano, inclusive, engloba profissionais da rede estadual.

Jundiaí registra mais de 300 casos positivos de Covid-19 em estudantes e profissionais da educação
G1; 05/06
https://glo.bo/2T3C3wX

A Prefeitura de Jundiaí (SP) confirmou mais de 300 casos positivos de Covid-19 em estudantes e profissionais da educação neste ano. A situação epidemiológica na rede municipal de ensino foi divulgada nesta sexta-feira (4).

De acordo com a prefeitura, os registros são monitorados pela Vigilância Epidemiológica e divulgados pelo APP Educação Jundiaí. No período de 27 de maio a 2 de junho foram registrados dois casos positivos em alunos e um em servidor.

Ao todo, segundo a prefeitura, desde o início do ano letivo são 120 casos confirmados em estudantes e 205 em profissionais da educação.


Chantagem: professores da rede privada do RN só serão vacinados prioritariamente se estiverem trabalhando presencialmente
Tribuna do Norte; 04/06
https://bit.ly/2Sfshb4

Os profissionais de Educação começam a ser vacinados em algumas cidades do Rio Grande do Norte, mas o Governo do Estado sancionou lei que diferencia o tratamento que será dado aos profissionais das redes pública e privada. Em lei publicada nesta quinta-feira (3), ficou determinado que os profissionais de instituições privadas só serão vacinados prioritariamente se estiverem atuando presencialmente nas instituições. Não há essa exigência para os profissionais da rede pública.


CORONAVÍRUS

Brasil registra 873 mortes por covid-19 neste domingo e soma 473 mil vítimas
GZH; 01/06
https://bit.ly/3gaBlpA

O Ministério da Saúde divulgou, no final da tarde deste domingo (6), que o coronavírus provocou a morte de 873 pessoas com registro nas 24 horas anteriores. Com essa atualização, o total de vítimas chegou a 473.404 mil óbitos desde o início da pandemia.

Esse número é equivalente ao registrado no domingo anterior — dia da semana em que as notificações costumam diminuir em razão da menor mobilização dos profissionais responsáveis pelos registros. Em 30 de maio, a cifra ficou em 874 mortes.

O fato de os óbitos terem sido registrados nas últimas 24 horas não significa que eles ocorreram neste período, já que pode haver atraso de alguns dias entre a ocorrência e a notificação oficial no sistema de monitoramento.

 


POLÍTICA EDUCACIONAL

Aprovação de alunos na educação básica tem alta em ano de pandemia
Folha de S. Paulo; 02/06
https://bit.ly/3pshbM1

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) apresentou, nesta quarta-feira (2), informações referentes ao movimento dos estudantes do ensino básico em relação a transferências, admissões, abandono, rendimento, aprovações e reprovações em 2020.

Os dados, impactados pela interrupção das aulas presenciais por causa da pandemia da Covid-19, revelam um aumento considerável do número de alunos aprovados na rede pública.

Ministro da Educação deve pedir acesso ao sigilo da prova do Enem
CNN; 02/06
https://bit.ly/34SXGmv

Em entrevista exclusiva à analista da CNN Renata Agostini, na última quarta-feira (2), o ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse que vai pedir acesso ao Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) para garantir questões de natureza mais técnica e menos “ideológicas”.

“O Enem tem uma questão de sigilo que, para você ter ideia, nem mesmo o ministro da Educação tem acesso. Este ano, talvez, eu ainda tenha que conversar com o meu presidente e o grupo que me assessora, para que eu possa fazer parte e ter conhecimento e, naturalmente, manter a questão do sigilo. Mas em relação ao Enem anterior, eu não tive nenhum acesso a qualquer tipo de pergunta ou questão.”

Vereadora de Santos pede revogação de título dado a ministro da Educação
A Tribuna; 06/06
https://glo.bo/3imZqMx

A vereadora de Santos Débora Camilo (PSOL) apresentou um projeto de resolução que promete dar muita polêmica, caso seja pautado em plenário: o pedido de revogação do título de Cidadão Santista concedido ao ministro da Educação, Milton Ribeiro. A entrega dessa honraria ao titular da pasta ocorreu em dezembro do ano passado, após indicação do ex-parlamentar Hugo Duppre (Republicanos).

A vereadora recordou que a Justiça Federal de São Paulo condenou a União a pagar indenização de R$ 200 mil por danos morais coletivas, por causa das “falas LGBTIfóbicas” do ministro.

 

TRABALHO

Home office ainda é para poucos
Agência Sindical; 06/06
https://bit.ly/2S6M2BH

Pandemia e quarentena fizeram explodir o trabalho remoto. Ou home office. De uma hora pra outra, um grande número de pessoas foi incumbida de tocar tarefas profissionais baseada em suas próprias residências. Ocorre que apenas uma pequena parcela dispõe de condições e infraestrutura.

O assunto é manchete desta sexta (4) no Valor Econômico: “Home office só é possível para 17,8% dos trabalhadores”. Por condições mínimas, entenda-se espaço, local adequado, eletricidade regular e acesso à internet.

As condições do home estão ligadas também ao grau de desenvolvimento dos países. Em julho passado, no Brasil, 10,4% disseram haver trabalhado em casa. Em países como Estados Unidos e Dinamarca, essa percentagem chega a 40.

A matéria do jornal Valor se apoia em pesquisa do Instituto Brasileiro de Economia da FGV. Os dados também confirmam que o teletrabalho é mais factível entre os de maior escolaridade e renda.

O estágio da economia de cada país também influi na possibilidade do trabalho home office. No Brasil, informa o Instituto, apenas 25,% (ou seja, ¼) desempenham tarefas e funções que podem ser realizadas home office.

 



Vírus ou protozoário? SBPC esclarece ‘polêmica’ da semana na CPI da Covid
Rede Brasil Atual; 06/06
https://bit.ly/3glbZFM

Para esclarecer a “polêmica” surgida na CPI da Covid definitivamente, a Sociedade Brasileira de Proteção à Ciência (SBPC) divulgou durante a semana um comunicado técnico sobre as diferenças entre vírus e protozoários. As diferenças:

Protozoa – Protozoários são organismos unicelulares, ou seja, possuem uma única célula. Está tem uma configuração complexa, com organelas e estruturas que executam diferentes funções. Protozoários realizam todas as funções de um ser vivo, como alimentação, metabolismo, excreção, reprodução e movimento.

“Esse grupo de organismos (protozoários) mantém seu material genético individualizado dentro de uma organela denominada núcleo”, explica a SBPC. “São exemplos de protozoários, inúmeros organismos capazes de provocar doenças, como as espécies do gênero Plasmodium, causadores da malária, e do gênero Trypanosoma, causadores do mal de Chagas”, completa.

Embora alguns possam provocar doenças, não é isso que define o grupo protozoa. “A diversidade natural destes organismos é enorme, e inclui inúmeros membros de vida livre (isto é, que não requerem um organismo hospedeiro e não atuam como parasitas), como as amebas e os ciliados, apenas para citar alguns”, prossegue o comunicado da entidade

Vírus – Já os vírus não possuem núcleo organizado. Em vez disso, são compostos por material genético disperso em um invólucro proteico. “Os vírus, por outro lado, não são organismos celulares, e muito menos nucleados. Não têm a membrana típica das células, nem suas estruturas moleculares internas. Os vírus, ao contrário dos protozoários, são incapazes de executar as funções típicas dos seres vivos – fora de seus hospedeiros, não mantêm nenhuma atividade fisiológica. Pelo contrário, dependem da célula do organismo hospedeiro para que tais funções sejam executadas – são, portanto, endoparasitas (isto é, parasitas internos) obrigatórios”, esclarece a SBPC.

A nota da SBPC é assinada pelos cinco membros da diretoria: Lucile Floeter-Winter, atual presidente da Sociedade Brasileira de Protozoologia (SBPz) e professora titular do Instituto de Biociências da USP; Luís Carlos Crocco Afonso, presidente-eleito SBPz) e professor associado do Instituto de Ciências Exatas e Biológicas da Universidade Federal de Ouro Preto; Maria Carolina Elias-Sabbaga, vice-presidente da SBPz e diretora-chefe do Laboratório Especial de Ciclo Celular do Instituto Butantan; Daniel Lahr, tesoureiro da SBPz e professor associado do Instituto de Biociências da USP; e Renata Tonelli, secretária da SBPZ e professora associada do Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas da USP.