Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de
Ensino de Presidente Prudente e Região

NOTÍCIAS DO DIA
Kroton atrás de mais fatias do mercado, as melhores universidades particulares na pesquisa, o ensino no Brasil está tecnologicamente estagnado? E mais.

terça-feira, 8 de outubro de 2019

Outubro, mês da professora, do professor: aqui o nosso presente –
Agenda do professor no novo aplicativo da Fepesp.
Clique aqui e saiba tudohttp://fepesp.org.br/noticia/6525/

 

 



Kroton cria holding de olho em mercado de R$ 174 bilhões
Valor Econômico; 08/10
http://bit.ly/2pVLznn

Dentro de sua estratégia de diversificação, a Kroton anunciou ontem, 07/10, a criação de uma holding com quatro subsidiárias e um fundo de venture capital. Cada uma das empresas terá sua própria estratégia de negócio e esse pode ser mais um passo para a companhia abrir o capital de sua unidade de educação básica ou receber investimentos de fundos para expansão.

 

Maior grupo de educação do país,
Kroton vira Cogna e se divide em quatro

Época; 07/10
https://glo.bo/2VsqJYj

Maior empresa privada de educação do Brasil, com valor de mercado de R$ 18,2 bilhões, a Kroton muda hoje de nome, de foco, de organização e de governança. Torna-se uma holding chamada Cogna Educação, com direito a uma nova sede, na Avenida Paulista, e um novo ticker na Bolsa: a partir do dia 11, KROT3 e KROTY dão lugar a COGN3 e COGNY. “A empresa está mudando inteira, por dentro e por fora. Essa é a mensagem”, diz o CEO, Rodrigo Galindo. “Só com essa mudança de foco, estamos triplicando nosso mercado potencial”.

 

Kroton anuncia reestruturação para
ganhar escala com educação à distância

Veja; 07/10
http://bit.ly/2MlICUM

Focada em adicionar tecnologia para ganhar escala no mercado de educação, a Kroton anunciou nesta segunda-feira, 7, a criação de uma holding para administrar quatro negócios separados em uma ampla reestruturação corporativa. Uma das principais apostas será a educação à distância. A holding se chamará Cogna Educação e será chefiada pelo atual presidente da Kroton, Rodrigo Galindo. “Nós temos muito espaço para crescer em todos os segmentos que a companhia opera”, disse Galindo a investidores, em evento, acrescentando que o grupo possui participação de apenas 3,9% no mercado educacional do país, avaliado em 174 bilhões de reais.

 

Lemann investe pesado em educação.
E sonha influenciar o futuro do país

Gazeta do Povo; 07/10
http://bit.ly/30UNRjw

Estimado em mais de R$ 100 bilhões, o mercado privado de educação básica vem sendo alvo de uma série de ações de fusões e aquisições. Afinal, ainda é bastante pulverizado – são mais de 40 mil escolas, que atendem a quase 15 milhões de alunos. Um dos maiores players desse movimento de formação de grandes conglomerados do ensino é o empresário Jorge Paulo Lemann. Dono de um patrimônio estimado em US$ 24,6 bilhões, ele é o principal acionista individual do Gera Venture, responsável pelos investimentos do Grupo Eleva Educação.

 


Entre universidades particulares,
religiosas lideram ranking de pesquisas

Folha de S. Paulo; 07/10
http://bit.ly/33bx117

Apenas quatro particulares estão entre as 50 instituições de maior destaque na área, de acordo com o RUF (Ranking Universitário Folha) 2019. Com uma característica em comum: são todas confessionais ou religiosas. No topo da lista, na 19ª posição geral, estão empatadas as PUCs Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. O Mackenzie aparece na 68ª posição geral, 10ª entre as instituições privadas. A PUC-SP tem a maior quantidade de teses defendidas por docente.

 



Metade dos empresários de educação
não tem equipe para inovar, diz pesquisa

Folha de S. Paulo; 08/10
http://bit.ly/35g2eC5

Para 38% dos empresários do setor de educação, o principal desafio é acompanhar a velocidade de avanços e inovações, segundo pesquisa da consultoria KPMG com 140 deles. Adaptar e criar cursos para plataformas digitais é um dos maiores obstáculos nos próximos anos para 60% dos entrevistados. Segundo o levantamento, 85% dos empresários acreditam que a tecnologia vai impactar o setor de educação, porém 50% dizem não ter uma equipe dedicada a novos negócios e inovação em suas instituições.

 

Sai 5ª, entra 6ª série: a fase ‘divisora de águas’
em que a educação brasileira degringola

Contee; 07/10
http://bit.ly/2OtOSfN

A transição da 5ª para a 6ª série, quando as crianças costumam ter a partir de 11 anos, é considerada uma fase delicada: é a partir daí que conquistas recentes da educação pública brasileira começam a se perder, e índices educacionais do país sofrem uma piora considerável. Por trás disso estão, segundo professores e especialistas consultados pela BBC News Brasil, grandes mudanças na rotina escolar das crianças, além de um acúmulo de problemas — e poucas políticas públicas para resolvê-los.

 


Escola católica em São Paulo rejeita evento terraplanista
Folha de S. Paulo; 08/10
http://bit.ly/35hfpTp

Os que não acreditam que a Terra seja um globo trocaram o Paraíso pela Liberdade. Mas não por escolha. A Flat Con, primeira convenção nacional sobre a Terra plana, acontecerá em 10 de novembro, na capital paulista. Em setembro, seus organizadores mostraram nas redes sociais o auditório onde o evento seria realizado, um teatro para 400 pessoas no Paraíso, na zona sul da cidade. Mais precisamente, como registra o vídeo na página do evento no Facebook, o teatro do tradicional colégio católico Maria Imaculada, na avenida Bernardino de Campos. A divulgação da convenção não caiu bem na comunidade; segundo Moisés Luz, coordenador de eventos do colégio, “pais questionaram muito, começaram a ligar”. “As normas do colégio não condizem com o evento”, resume Luz.

 

 


Movimento sindical precisa recuperar
agenda propositiva, afirma Dieese

Rede Brasil Atual; 07/10
http://bit.ly/2MsT1hc

Sob ataque, o movimento sindical precisa se reorganizar para apresentar novamente uma agenda propositiva, diz o diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio. Ele participou da abertura do 13º Congresso Nacional da CUT (Concut), em Praia Grande, litoral paulista, no dia 07/10. “A agenda para sair desse congresso é de reorganização em busca de uma estratégia propositiva. Rearticular o campo da esquerda em uma linha desenvolvimentista e de combate à desigualdade”, afirma Clemente. Um desafio de grande porte, considerando o “nível de adversidade monstruoso”, como ele define o atual momento.

 


Campinas: Sarau tem apresentações, exposição
de livros, quadros e homenagens a professores

Sinpro Campinas; 07/10
http://bit.ly/2IygHQ8

O Sinpro Campinas e região realizou, no último sábado, dia 05, o Sarau dos Professores. O evento contou com apresentações artístico-culturais, lançamentos de livros, exposição de quadros e homenagens à categoria. Durante o sarau se falou sobre a preocupação com os ataques do atual governo aos professores e à educação. Com tantos retrocessos, a união dos sindicatos e movimentos sociais é fundamental. Por isso foi criada a Programação do Outubro Unificado em Defesa da Educação e dos Professores e o Sarau do Sinpro foi uma das atividades desse cronograma.

 

Osasco: a Festa dos Professores está chegando
SinprOsasco; 07/10
http://bit.ly/30XdlfO

O Jantar Dançante dos Professores 2019 será no dia 18 de Outubro. Os convites já podem ser retirados no sindicato das 8h30 às 17h até o dia 11 de outubro. Como já é de costume, os professores filiados têm entrada franca.

 

 



Nova série da Globo exalta força da
educação em meio a polarização política

UOL; 08/10
http://bit.ly/35eg7AQ

Em São Paulo, na região de Pinheiros, um colégio quase em ruínas recebe novos alunos. A construção, que já abrigou a Escola do Jockey de São Paulo e o Colégio Equipe, está desativada, mas teve parte dos andares restaurados e ganhou até pichações novas. Em uma sala, lê-se: “Marielle, presente!”. “A gente colocou uns ‘Ele Não’ também”, brinca Joana Jabace, diretora artística da nova série da Globo, Segunda Chamada. O espaço é o principal cenário do seriado assinado por Carla Faour e Julia Spadaccini, que estreiam como autoras titulares. O ambiente, segundo a diretora, permite uma espécie de trabalho documental, aproximando atores e produção da realidade que o seriado busca retratar.