NOTÍCIAS DO DIA

Governo culpa diretores por aglomeração, a proteção da saúde vocal de professores no Congresso, Cao Hamburger (‘Rá-Tim-Bum’) vai filmar Paulo Feire, e mais:

Por quinta-feira, 7 de outubro de 2021

Diretor técnico licenciado do DIAP – o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar – o jornalista Antonio Augusto de Queiroz afirma que está havendo ‘uma ofensiva neoliberal sobre os direitos que jamais se v viu no Brasil’.
Veja aqui: https://youtu.be/_ftJi8x5YVM     

‘Foram por que quiseram’: Secretaria da Educação paulista culpa diretores pelo fiasco de aglomeração em Serra Negra
Carta Capital; 06/10
https://bit.ly/3AjBhvU

Entre 30 de setembro e 1º de outubro, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) realizou um evento presencial para mais de 4 mil pessoas – diretores de escolas, coordenadores de núcleo pedagógico e dirigentes regionais de ensino da rede estadual na cidade de Serra Negra. Na semana que antecedeu o encontro, diretores escolares que protestaram contra a irresponsabilidade sanitária de organizar um evento dessas dimensões — e foram lembrados por seus superiores de que a presença era obrigatória. Quem faltasse teria os dias de trabalho descontados.

O secretário da Educação estava visivelmente contrariado. E já iniciou dizendo que o evento era “opcional: a pessoa poderia optar por vir ou não”.


Comissão de Educação aprova proposta que determina que escolas protejam saúde vocal de professores
Câmara dos Deputados, via Contee; 07/10
https://bit.ly/3mBl68j

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados aprovou proposta que determina que as escolas assegurem meios para proteger a saúde dos professores, em especial a saúde vocal, inclusive por meio de equipamentos para a difusão da voz quando o espaço ou o número de alunos em sala de aula assim exigirem.

A proposta acrescenta um inciso à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), na parte que trata das incumbências dos estabelecimentos de ensino. “O uso contínuo da voz em condições desfavoráveis ao trabalho docente resulta em prejuízo na saúde do profissional e na interação com os educandos”, afirmou o relator. “Turmas excessivamente grandes constituem um dos fatores negativos mais frequentes”, acrescentou.

O substitutivo faz ajustes na ementa do projeto, na numeração do dispositivo que acrescenta à LDB e detalha mais a medida.

 

Fepesp; 07/10
https://bit.ly/3moTWBo

Conheça o Plano de Ações deliberado pelos delegados ao 10° Congresso da Fepesp, todo dia um destaque: hoje, o item 5: Defender a Ciência, a Universidade, o Meio Ambiente e a cultura nacionais e a educação pública, gratuita, universal, laica e de qualidade socialmente referenciada.

O conjunto de ações discutidas e provadas no congresso da Fepesp  tem 36 itens e você pode conferir -= e se orientar – pela íntegra no site da Fepesp, aqui: https://bit.ly/3moTWBo


Fepesp tem nova diretoria, eleita no congresso na entidade
Sinpro SP; 06/10
https://www.sinprosp.org.br/noticias/4552

Os delegados dos sindicatos presentes ao 10º Congresso da Federação dos Professores do Estado de São Paulo elegeram a nova diretoria da entidade para o quadriênio 2021-2025 no encerramento do encontro neste sábado, 02/10.

A chapa ‘União é Força, não passarão’ foi eleita, reelegendo Celso Napolitano como presidente da Fepesp. Luiz Antonio Barbagli (Sinpro SP) e Gentil Gonçales Filho (Sinprovales) serão os vice-presidentes nesta gestão. Paulo Nobre (Sinpro Campinas) foi mantido como secretário geral da Fepesp.

 

PAULO FREIRE, CEM ANOS

Cao Hamburger adquire direitos de biografia de Paulo Freire para fazer filme ficcional
Monica Bergamo; 07/10
https://bit.ly/3FAmhxw

O diretor Cao Hamburger adquiriu os direitos da biografia “O Educador: Um Perfil de Paulo Freire”, escrita por Sérgio Haddad, para fazer um filme ficcional sobre o patrono da educação no Brasil. O projeto terá a participação de Tom Hamburger, filho do cineasta.

MEMÓRIA – A obra terá consultoria de Haddad e de Madalena Freire, filha de Paulo Freire que atuou ao seu lado no projeto de alfabetização para adultos em Angicos, no Rio Grande do Norte.

 

Opinião, Cristovam Buarque: ‘Paulo Freire, hoje’
Correio Braziliense; 05/10
https://bit.ly/309wVLv

“São raros os pensadores cujas obras atravessam o tempo: Paulo Freire é um desses. Por isso, estamos comemorando seu centenário. Eles têm em comum o fato de mostrarem o mundo de uma maneira diferente de como ele aparecia antes. Como Copérnico, que mostrou que a Terra girava ao redor do Sol, o que parecia impossível à época. Com ineditismo, Paulo Freire mostrou que a educação não se faz apenas do professor para o aluno, mas em uma interação entre eles e as coisas que os rodeiam. A partir dessa visão, revolucionou a maneira de alfabetizar os adultos.

No lugar dos velhos métodos de ensiná-los, como se faz com crianças, ele formulou o seu método: substituir o professor que chega com a cartilha pronta por uma construída depois de pesquisa identificando palavras que o aluno usa no seu dia a dia. No lugar de u-v-a igual a uva, m-a-n-g-a igual a manga, no lugar de n-e-v-e igual a neve, usar f-o-m-e como fome. Essa mudança simples, que hoje parece óbvia, representou uma mutação epistemológica, característica de um gênio. Paulo Freire deu o toque de mudança para explicar o mundo e dizer como transformá-lo”.


Quem tem medo de Paulo Freire?
Diário do Nordeste; 05/10
https://bit.ly/3iIs2zd

Quem nunca abriu um de seus livros, lidos e debatidos nas principais universidades do mundo, como uma referência obrigatória no campo da filosofia da educação, se arvora a reduzir o seu pensamento a uma manifestação do comunismo, quando não uma fórmula para destruir as famílias, justo ele que construiu uma linda família, ao longo da vida.

As classes dominantes brasileiras, que patrocinaram o golpe civil-militar de 1964, que o prendeu e o obrigou a ir para o exílio, temem Paulo Freire por ele advogar que a educação deve ser um ato de formação cidadã, de formação da consciência por parte dos explorados e oprimidos. Aqueles que são opressores e exploradores temem Paulo Freire e, mais uma vez, estão por trás do golpe de 2016, que desembocou na eleição de um governo neofacista e neoliberal, cujos partidários tentaram até retirar dele o título de Patrono da Educação Brasileira, conferido em 2012.

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

MPF vê risco à liberdade de expressão e recomenda que Inep desista de ‘tribunal ideológico’ do Enem
Folha de S. Paulo; 06/10
https://bit.ly/3FtWdnM

O MPF (Ministério Público Federal) recomendou que o governo Jair Bolsonaro (sem partido) se abstenha de criar uma espécie de “tribunal ideológico” para questões do Enem. A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão considerou que o ato pode representar ataque à liberdade de expressão e ao pluralismo de ideias.

A Folha revelou em junho que o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) tinha pronta uma portaria que estabelece uma instância permanente de análise ideológica dos itens das avaliações da educação básica. O documento prevê veto a “questões subjetivas” e atenção a “valores morais”.

 

Crianças da pré-escola podem ter perdido até 6 meses de aprendizagem com a pandemia
Folha de S. Paulo; 06/10
https://bit.ly/3BzAN6l

A interrupção das aulas durante a pandemia pode ter causado uma perda de aprendizagem de até seis meses em crianças de quatro e cinco anos. O cálculo foi feito por pesquisadores que observaram os alunos antes e durante a crise sanitária gerada pelo coronavírus.

O maior prejuízo de aprendizagem foi verificado em crianças de famílias com maior vulnerabilidade social, em que o acompanhamento das aulas a distância foi mais difícil ou não ocorreu.

A principal preocupação é que, se não corrigidos os déficits, eles se perpetuem por toda a trajetória escolar.

 

Livro digital apresenta ferramentas para promover inclusão na educação infantil
Jornal da USP; 04/10
https://bit.ly/3iCsJKA

Como é possível desenvolver um ensino direcionado a todas as crianças de uma classe de educação infantil, levando em conta os conceitos do Desenho Universal para a Aprendizagem  (DUA) e as características de cada criança? É o que pretende responder o livro Desenho universal para a aprendizagem e ensino inclusivo na educação infantil, lançado recentemente pela professora Andréia Schmidt e pelas pesquisadoras Ana Carolina Arruda Miranda e Claudia Daiane Batista Bettio, todas da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP).

A ideia do livro, que tem como objetivo discutir os princípios do DUA e a sua aplicação no ambiente da educação infantil, surgiu a partir de um conjunto de pesquisas na área, adianta Andréia. O DUA foi concebido no âmbito da Educação Inclusiva, mas aplica-se à educação em todos os níveis, explica a professora, porque foca no acesso físico à sala de aula e também no acesso a todos os aspectos que envolvem a aprendizagem.

 

 

Mudança de nome da Praça Roosevelt é debatida na Comissão de Educação
Câmara Municipal SP; 06/10
https://bit.ly/3lhtwlE

A alteração do nome da Praça Franklin Roosevelt para Praça Tarcísio Meira foi debatida em reunião ordinária, nesta quarta-feira (6/10), pela Comissão de Educação, Cultura e Esportes. Em tramitação no Legislativo paulistano, o PL (Projeto de Lei) 535/2021, de autoria do vereador Thammy Miranda (PL), que sugere a alteração, aguarda a segunda e definitiva votação em Plenário.

 

Para o presidente do colegiado, vereador Eliseu Gabriel (PSB), o logradouro já tem um nome consagrado. “Eu não vejo muito cabimento nesta solicitação, porém tem um Projeto de Lei em tramitação. É nosso papel ouvir o que a população tem a dizer”, comentou.

“Eu tenho recebido também as mesmas reclamações sobre a Praça Roosevelt, por e-mail e no meu gabinete. Moradores da região que demonstraram descontentamento com a alteração. Nós precisamos ouvir as pessoas que vivem lá por muito tempo”, completou a vereadora Sonaira Fernandes (Republicanos).

Os parlamentares receberam representantes da Associação de Moradores da Praça Franklin Roosevelt, que entregaram à Comissão um abaixo-assinado com mais de 2.550 assinaturas de pessoas contrárias à mudança do nome.

 

CORONAVÍRUS

Covid em SP: como está o número de mortes e casos no momento em que a cidade estuda o fim do uso obrigatório da máscara
G1; 07/10
https://glo.bo/3DovcjJ

A Prefeitura de São Paulo afirmou nesta terça-feira (5) que a cidade estuda liberar o uso de máscaras de proteção contra o coronavírus em locais abertos na segunda quinzena de outubro, mas a cidade ainda não alcançou o controle total da pandemia. (veja os índices abaixo)

Além disso, especialistas que acompanham a evolução da pandemia desde as primeiras mortes fizeram alertas contra a medida. Veja os últimos dados:

Mortes: Capital registra média de 36 novas mortes diárias; aumento de 2% em relação ao verificado há 14 dias.
Casos: Capital registrou 612 novos casos nesta terça (5) e tem média móvel de 281 casos por dia
Vacinação: 82,5% da população adulta da capital tomou as duas doses contra a Covid-19 ou vacina de dose única

Eles afirmam que, embora a decisão seja razoável para alguns ambientes abertos, a dispensa das máscaras nesses ambientes pode acabar desestimulando o uso também em locais fechados.

 

 

 

A Guerra de Canudos em 10 filmes
MST; 05/10
https://bit.ly/3ahF0Q0

Entre documentários, ficções, séries de TV e aulas online, separamos 10 materiais importantes do audiovisual brasileiro sobre este importante marco histórico. Links para cada filme na lista.

Canudos foi um episódio marcante na história brasileira, tanto pela força desse movimento de luta pela terra de camponeses ,liderados pelo profeta Antônio Conselheiro, tanto pela tragédia que foi a repressão do estado, em uma guerra que gerou milhares de mortos.

Esse momento de resistência e violência foi muito retratado no cinema. Durante a pesquisa para esta lista, foram encontrados muitos documentários, ficções, séries de TV e aulas online. Dentre esses, foram selecionado oito filmes que estão disponíveis online de forma gratuita e dois que, embora não estejam na íntegra gratuitamente, são importantes referências para o tema.

Além dos documentários Canudos (Ipojuca Pontes, 1978) que representou o Brasil no Festival de Cannes no ano de 1978, Paixão e Guerra no Sertão de Canudos (Antonio Olavo, 1993), os documentários República de Canudos (1989) Memória do Sangue (Conceição Senna) Três Vezes Canudos (Centro de Estudos Euclydes da Cunha) revisitam esse fato histórico atualizando com as lutas e desdobramentos gerados a partir dessa guerra na região.

Confira a lista (sinopses de cada filme estão aqui https://bit.ly/3ahF0Q0):

  1. Deus e o Diabo na Terra do Sol (Glauber Rocha //1964 // Ficção) – https://youtu.be/RyTnX_yl1bw
  2. Os Sertões (Zé Celso Martinez, Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona // 2000 // Peça de Teatro) – https://youtu.be/OtakhcTg0rw
  3. Guerra de Canudos (Sérgio Rezende // 1997 // Ficção) – https://youtu.be/P4OYhj7Io0E
  4. Canudos (Ipojuca Pontes // 1978 // Documentário) – https://youtu.be/3hQoj7iqxJk
  5. Paixão e Guerra no Sertão de Canudos (Antonio Olavo //  1993 // Documentário) – https://youtu.be/4rnFi9auXYE
  6. República de Canudos (Autor desconhecido // 1989 // Documentário) – https://youtu.be/JQNGL-MZunI
  7. Três Vezes Canudos (Centro de Estudos Euclydes da Cunha // Documentário) – https://youtu.be/JE21z1oPBZI
  8. Sobreviventes – Os Filhos da Guerra de Canudos (Paulo Fontenelle // 2005 // Documentário) – https://youtu.be/TGu_pccj9RQ
  9. Os Sete Sacramentos de Canudos (Joel de Almeida, Jorge Furtado, Otto Guerra, Luís Alberto Pereira, Pola Ribeiro, Ralf Tambke e Sandra Werneck  // 1996 // Série de documentário e ficção) – https://vimeo.com/71123626
  10. Memória do Sangue (Conceição Senna // 1988 // Documentário) – https://youtu.be/uuJTqbbQXns