Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de
Ensino de Presidente Prudente e Região

NOTÍCIAS DO DIA
Primeiro de junho de 2021 – Enem presencial e digital em novembro, vão tentar a escola cívico-militar no Guarujá, e mais:

terça-feira, 1 de junho de 2021

Ensino Superior:  Campanha salarial difícil em meio à pandemia tem conclusão após longa negociação e defesa de direitos da Convenção.
Saiba mais aqui:  https://bit.ly/3c3YSqW 

Enem 2021 será realizado nos dias 21 e 28 de novembro, diz ministro da Educação
Estadão; 01/06
https://bit.ly/3wOJqH4

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será realizado nos dias 21 e 28 de novembro. O anúncio foi feito em publicação por rede social nesta segunda-feira, 31. Segundo o titular da pasta, os editais devem ser publicados nesta semana e as versões impressa e digital da prova acontecerão na mesma data.

No dia 13, o Estadão revelou que o próprio ministro mandou ofício a Paulo Guedes dizendo que não havia orçamento no MEC para fazer a prova. O custo do Enem 2021 foi estimado em R$ 700 milhões.

Para servidores, o prazo também estava cada vez mais curto. A preocupação era que, se as inscrições não fossem abertas até início de junho, não haveria tempo para elaboração, impressão, distribuição e logística da prova. Para serem feitos com segurança, os processos duram 170 dias. Na semana passada, o diretor da área responsável pela prova foi exonerado após passar pouco mais de dois meses no cargo.

 

Equipe de Milton Ribeiro queria adiar exame para 2022, mas voltou atrás
Folha de S. Paulo; 01/06
https://bit.ly/3wOJqH4

A Folha mostrou na última semana que o governo Jair Bolsonaro ainda não assinou o contrato com a gráfica para a impressão das provas do exame. As indefinições sobre as datas de realização das provas e trocas nas chefias do órgão têm atrasado os procedimentos preparatórios do exame.

A avaliação de técnicos da pasta é de que, a cada dia que passa, aumentam os riscos para a segurança e o sucesso do exame.

Em 2019, por exemplo, quando o Enem também ocorreu em novembro, o contrato com a gráfica foi fechado em 21 de maio. Isso já representou atrasos; naquele ano, no entanto, a assinatura demorou porque a empresa que imprimia as provas havia falido, forçando o governo a alterar o fornecedor.

 

Educação SP realiza audiência para implementação de escola cívico militar no Guarujá
Portal do Governo; 31/05
https://bit.ly/3fYCn8b

A  Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) realizou, nesta sexta-feira (28), uma audiência pública virtual, na Escola Estadual Marechal do Ar Eduardo Gomes, no Guarujá, para debater a implementação do modelo cívico militar na unidade.

“Se a decisão da comunidade foi adotar este modelo, terá total apoio da secretaria”, disse o secretário da Educação, Rossieli Soares.

Ainda, será aberto o período de consulta pública, onde a sociedade poderá decidir definitivamente se deseja ou não a implementação.


POLÍTICA EDUCACIONAL


Ceará: professora pedala pelo sertão com ‘educação delivery’ para crianças com deficiência

G1; 29/05
https://glo.bo/3ySXQba

Desde março de 2020, a professora Noadias Novaes, de 38 anos, pedala em estradas de terra de Cruxati, no sertão do Ceará, para dar aulas a crianças e adolescentes com deficiência. Coloca as mesas na calçada e, mantendo o distanciamento social, propõe atividades pedagógicas.

“Quando começou a pandemia, fiquei pensando: como vou prosseguir meu trabalho? Esses alunos precisam de continuidade. Se eu parasse, eles poderiam regredir na fala, na questão motora, na cognição. Como a maioria não tinha internet, decidi ir de porta em porta”, conta.

As famílias dos alunos de Noadias vivem em condições precárias. “São pessoas carentes que dependem do Bolsa Família e que, às vezes, não conseguem nem o benefício por terem filhos com deficiência [Benefício de Prestação Continuada – BPC]”, conta.

“Muitas mães são solteiras, outras são donas de casa, sem emprego. Os homens trabalham como agricultores e dependem da chuva para o cultivo.”

Para ajudá-los, Noadias tenta dar orientações do que eles podem fazer para estimular o desenvolvimento das crianças.

 

Prefeitura de SP entrega 4.400 notebooks a professores
Agora; 31/05
https://bit.ly/3c4RWtG

Professores da rede municipal de São Paulo receberam, nesta segunda-feira (31), o primeiro lote de notebooks adquiridos pela Secretaria Municipal de Educação. Foram entregues 4.407 equipamentos às escolas pertencentes à diretoria regional de Pirituba, o que corresponde a 9% do total de 48.549 notebooks adquiridos pela pasta.

Em junho, outros 7.852 serão distribuídos às escolas das diretorias do Butantã e do Campo Limpo, segundo a secretaria. A previsão é que o restante seja entregue até setembro.


Opinião: ‘Tributação dos livros e o dever de respeito à educação e à cultura’
Conjur; 31/05
https://bit.ly/3p8NCyU

Por Vinícius Adami Casal, advogado e mestrando em Direito Econômico pela UFRGS.: “O acesso ao conhecimento é uma forma de acesso à cidadania. E o que melhor representa este acesso ao saber do que os livros? A Constituição brasileira encampa, em diversas normas, o dever de o Estado promover o acesso à cultura e à educação, sendo evidente a mensagem constitucional no sentido de as políticas públicas (notadamente a política econômica e fiscal) deverem ter sempre como meta, tanto quanto possível, a disseminação do saber por intermédio da leitura.

No entanto, posicionamentos como o da Receita Federal, que em pleno 2021 (!) afirmou que “só ricos leem” parecem esquecer o arcabouço normativo constitucional, principalmente a tutela dos direitos fundamentais da educação e da cultura.

O que se quer por fim afirmar é que a política fiscal não é (e jamais deve ser) imune às disposições constitucionais e, no caso da tributação dos livros, é evidente o dever de promoção da educação e da cultura, ambos direitos fundamentais, que são promovidos, justamente, por intermédio do estímulo de acesso aos livros. A alíquota zero reforça isso e sua eventual não manutenção é um tremendo desacerto com danos, quiçá, irremediáveis”.

 

Vitória da categoria: Parecer jurídico impede retorno às atividades presenciais para professores do grupo de risco
Sinpro ABC; 31/05
https://bit.ly/3i9JInY

O desembargador do Trabalho do TRT 2a Região, Fernando Álvaro Pinheiro, emitiu, no dia 27 de maio, parecer jurídico que impede o retorno às atividades presenciais dos profissionais da Educação pertencentes ao grupo de risco.

Segundo a decisão, os professores que se enquadram no grupo de risco para a covid-19 ou coabitam com pessoas nesse perfil devem permanecer em trabalho remoto até que ocorra a cessação de risco de contágio, decorrente da pandemia, e não somente após imunização contra a doença.

 

CORONAVÍRUS

Sem medidas protetivas, cientistas reafirmam tendência de piora da covid no Brasil
Rede Brasil Atual; 30/05
https://bit.ly/34yUzQr

Uma terceira onda de contágios e mortes deve se abater sobre o país em breve e elevar, novamente, os números para patamares registrados apenas nos piores dias.

Os cientistas apontam que a força da segunda onda possui relação com o descaso com que o vírus foi tratado. E temem pelo futuro próximo. “A epidemia da covid-19 no Brasil passa por uma segunda onda mais intensa que a primeira, resultante principalmente de dois fatores, o relaxamento geral do isolamento social durante alguns meses e a prevalência de novas variantes do vírus Sars-Cov-2 mais transmissíveis e mais letais”.

 


O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Ser Educacional compra a Fael, de ensino a distância, por R$ 280 milhões
Estadão; 31/05
https://bit.ly/3uAbGM5

A Ser Educacional anunciou nesta segunda-feira, 31, a compra da Faculdade Educacional da Lapa (Fael), com atuação em todo o território nacional na área de ensino a distância, por R$ 280 milhões. O negócio foi realizado por meio da subsidiária 3L Tecnologias Educacionais e Soluções Digitais.

Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa informa que a Fael tem suas operações baseadas na cidade da Lapa (PR) e é uma das maiores instituições de ensino superior digital do Brasil, tendo cerca de 90 mil alunos nas modalidades de graduação e pós-graduação. O foco da companhia é em municípios com menos de 100 mil habitantes.

Com aquisição da Fael, Ser Educacional dobra em ensino a distância e mira ‘virada digital’
Estadão; 31/05
https://bit.ly/3i8kKW3

O Grupo Ser Educacional deve apostar todas as suas fichas em uma “virada digital”. Além do olhar nas instituições de ensino do setor de saúde e de polos a distância, a empresa também tem como alvo as “edtechs”, como são chamadas as startups mais inovadoras do setor de educação.

Por trás da recém anunciada aquisição está a percepção de que a pandemia mudou de vez o setor educacional. “Nosso sentimento é de que não vai ter mais curso 100% digital. Mesmo o presencial terá um complemento a distância, todos passarão a ser híbridos”, disse nesta segunda-feira, 31, o presidente da Ser Educacional, Jânyo Diniz, em entrevista ao Estadão.

Continuamos olhando aquisição de faculdades e startups de educação, diz presidente da Ser
Valor; 31/05
https://glo.bo/3wNehDX

A Ser Educacional continua analisando ativos para compra de instituições de ensino e startups de educação, segundo Jânio Diniz, presidente da companhia que realizou há pouco teleconferência para analistas e investidores sobre a aquisição da Faculdade Educacional da Lapa (Fael), anunciada nesta manhã, por R$ 280 milhões.

A companhia manterá sua estratégia de usar marcas regionais de faculdades e a Fael continuará adotando seu nome nacionalmente. A Fael tem 600 polos, sendo 60% no Sul e Sudeste e 40% no Norte e Nordeste.

Para a Ser Educacional a aquisição da Faculdade Educacional da Lapa (Fael) por um múltiplo de 14 vezes o Ebitda (sem sinergias) não está acima dos indicadores dos concorrentes de ensino a distância e, sim, o seu próprio múltiplo é que está baixo. A companhia é avaliada em 4,5 vezes. “Nós é que estamos baratos”, disse Diniz.

 


CBF terá de explicar na CPI da Covid se há segurança para Copa América no Brasil
Rede Brasil Atual; 26/05
https://bit.ly/34zIwCa

Diante do anúncio, nesta segunda-feira (31), da realização dos jogos da Copa América no Brasil, a oposição ao governo de Jair Bolsonaro está agindo. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI da Covid, protocolou requerimento convocando o presidente da CBF, Rogério Caboclo, para depor. “É necessário saber quais medidas foram planejadas para garantir segurança sanitária aos brasileiros diante da realização da Copa América com tanta celeridade em nosso país”, afirmou.

Justiça contra a Copa – Para o médico e deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP), a situação é muito grave. “Será o maior ‘mata-mata’ da história das Copas”, ironizou.

O parlamentar solicitou ao governador de São Paulo, João Doria, que o estado não aceite a realização de jogos em seus estádios. Doria, no entanto, afirmou em nota que o governo não fará objeção caso a CBF defina São Paulo como um dos locais de jogos, desde que os protocolos do Plano São Paulo sejam obedecidos. O estado é campeão de mortes pela covid-19 no Brasil.